Opinião

Ir à Batalha é estar ao lado do homem que veio libertar Portugal

Ir à Batalha é estar ao lado do homem que veio libertar Portugal
Mais uma sessão legislativa! Esta é a quarta sessão legislativa com a presença de André Ventura, a voz das pessoas comuns, dentro da antiga Casa da Democracia. E digo antiga Casa da Democracia porque Ferro Rodrigues e Santos Silva, recuperando os seus compromissos e ideias do tempo do PREC, transformaram a Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias no Conselho da Revolução, substituindo-se, assim, ao Tribunal Constitucional.

Só é discutido o que o Presidente da Assembleia deixa e António Costa quer.

Este ataque à liberdade e à Constituição da República Portuguesa conta com o comportamento cúmplice e cobarde de todos os outros grupos parlamentares e com o silêncio comprometido de Marcelo Rebelo de Sousa, que se arrisca a ficar na história como o primeiro Presidente da República Socialista Portuguesa.

O sistema abana e eles sabem que os seus dias se aproximam do fim...

Desde o início do partido CHEGA que os “donos disto tudo” tentaram impedir a eleição de André Ventura: campanhas e muitos ataques externos, mas também internos foram registados.

Hoje, no momento de maior afirmação e crescimento do partido CHEGA, quando o PS treme com cada intervenção do grupo parlamentar do CHEGA, todo aquele que se diga do CHEGA, mas que se coloca ao lado de Santos Silva e ataca André Ventura, está ao serviço de outros interesses, está ao serviço do sistema.

Os portugueses comuns não podem ver a sua esperança destruída com supostas crises internas plantadas por egos ao serviço de outros interesses e do sistema que nos limita as liberdades.

Aqueles que internamente atacam André Ventura, são os mesmos que agora não veem razões para um Conselho Nacional e um Plenário de Militantes. São os mesmos que em Évora, Coimbra e Viseu quiseram dar uma lição ao líder André Ventura, como os órgãos de comunicação noticiaram.

Estar na Batalha dias 17 e 18 de setembro é estar ao lado do homem que veio libertar Portugal e deitar para o caixote do lixo da história o socialismo e todos os vassalos e marionetes dos “Santos Silvas” deste jardim à beira-mar plantado.

Meia-dúzia de pessoas invejosas e malformadas não podem, nem vão abafar, os mais de 400 mil portugueses que votaram no CHEGA. Estes ilustres são aqueles que tudo fizeram para que as eleições presidenciais, autárquicas e legislativas corressem mal.

O partido CHEGA precisa apenas dos braços e das vozes dos que querem defender a Democracia e a Liberdade.

Não nos calarão em todas as cidades, vilas e aldeias. Ouvirão um povo a gritar: Deus, Pátria, Família e Trabalho.

É tempo de cumprir Portugal, é hora de lutar por Portugal e lutar por Portugal é lutar pelo CHEGA de André Ventura.
Client 1
Manuel Matias
(Assessor Político do CHEGA)
Image

Economia

País & O Mundo

Cultura

Lifestyle

Folha Nacional