24 Abril, 2024

Portugal enviou mais de 850 toneladas de material à Ucrânia desde início do conflito

© Portugal.gov

Portugal enviou mais de 850 toneladas de material à Ucrânia, desde o início do conflito com a Rússia, disse hoje em Mafra a ministra da Defesa, Helena Carreiras.

“Portugal tem apoiado contínua e inequivocamente o esforço de resiliência ucraniano através da doação de mais de 850 toneladas de material, incluindo militar”, afirmou Helena Carreiras, que encerrou o III Encontro Mafra Dialogues, em Mafra, no distrito de Lisboa.

Para a ministra da Defesa, Portugal “não está a apoiar com armas uma agressão, mas a apoiar a resistência a uma agressão”.

“Esta guerra tem a ver connosco porque está em causa a segurança da Europa e a defesa do mundo onde prevalece o direito internacional e o direito de cada povo viver em paz”, declarou.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro de 2022 pela Rússia na Ucrânia causou até agora a fuga de mais de 14,6 milhões de pessoas – 6,5 milhões de deslocados internos e mais de 8,1 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Pelo menos 18 milhões de ucranianos precisam de ajuda humanitária e 9,3 milhões necessitam de ajuda alimentar e alojamento.

A invasão russa – justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 8.574 civis mortos e 14.441 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados