16 Junho, 2024

O verdadeiro motivo do preço da habitação

Hoje decidi calcular o preço da casa da minha mãe que comprou nova em 1991 por 25.000€. Caso a vendesse hoje sem ter mais-valias, teria de a vender por 50.750€, o que corresponde praticamente ao dobro do valor da compra.
Só que as casas em redor não estão a ser vendidas por esse valor mais pelo dobro desse mesmo dobro ou seja por 4 vezes mais o valor da compra. Podemos atribuir a esse segundo “dobro”, o aumento do custo de vida, a inflação ou mesmo algum motivo relacionado com medidas políticas como é o caso dos Vistos Gold.

Nada está mais longe da realidade.

Segundo o INE, a Mulher entrou em massa no Mercado do Trabalho no início dos Anos 90. Assim sendo, o preço das casas era calculado para uma família em que apenas um dos progenitores era trabalhador.
A entrada da Mulher fez com que ambos os progenitores estivessem a trabalhar. Ora, aqui houve a grande “marosca” entre a Banca e o Mercado Imobiliário, ou seja… se um progenitor consegue pagar X, então os dois conseguem pagar 2X, ou seja, o dobro.

O efeito da “marosca”:

Como a Banca e o Mercado Imobiliário andam da mãos-dadas devido à questão dos “empréstimos”, a entrada da Mulher no Mercado Laboral serviu como pretexto para duplicar o valor dos imóveis e por conseguinte, a Banca, as Imobiliárias e a Construção Civil poderem também ganhar o dobro. Assim se deu o “boom” do Mercado Imobiliário nos Anos 90.
Naturalmente que esta duplicação geraria mais impostos e taxas que o Estado aceitou de bom grado. Esta “marosca” depois iria ruir mais tarde, como sabemos. Isto porque não contavam que as despesas familiares iriam aumentar consideravelmente por os Pais terem que deixar os filhos em algum lugar enquanto trabalhavam.

E agora!?

Agora, a casa da minha mãe tem um valor em redor de 110.000€. Na realidade, vale cerca de 4 vezes mais o valor que a comprou em 1991.
No entanto, a “marosca” realizada nos Anos 90 só compensa agora para o Estado. Afinal, se a minha mãe vendesse a casa, seriam cobrados 59.250€ de mais-valias. Mais-valias essas que o Estado receberia de braços abertos.
Se a Geração da minha mãe (nascidos nos Anos 50) desejar saber o preço de uma casa actual caso fosse vendida quando tinham 20 anos, dividam o valor da venda por 4 e ficarão com a ideia do preço.

Percebem agora o motivo dos jovens não conseguirem sair da casa dos pais!? Estão apenas a pedir-lhes 4 vezes mais o esforço que foi exigido aos Pais deles. Genial, não é!?

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados