13 Junho, 2024

Produção total de renováveis representou 85% do total de eletricidade até final setembro

A produção total de energias renováveis representou 85% da produção total de eletricidade nos primeiros nove meses do ano, um aumento de 7% face ao período homólogo, segundo os dados operacionais previsionais da EDP hoje divulgados.

© D.R.

A informação comunicada pela empresa à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) destaca o aumento de 58% da produção hídrica na Península Ibérica relativamente ao período homólogo nos primeiros nove meses do ano (+21% no terceiro trimestre).

No final de setembro, “os níveis de reservatórios hídricos em Portugal permaneceram nos 69%, em máximos históricos (16 pontos percentuais acima da média) dos últimos 10 anos para esta altura do ano, o que suporta as perspetivas de produção hídrica para os meses seguintes”, referem os dados operacionais previsionais da EDP.

Nos últimos 12 meses, a EDP adicionou +1,8 GW (gigawatt) de projetos renováveis, atingindo uma capacidade instalada Eólica e Solar de 15,4 GW em setembro de 2023, mais 6% ou mais 0,9 GW relativamente ao período homólogo.

Quanto à energia solar distribuída, a EDP atingiu uma capacidade instalada de 1GW, o que representa cerca de 40% do portfólio total de solar nos primeiros nome meses do ano e um aumento de 78% face ao período homólogo.

A produção eólica e solar aumentou 4% face ao período homólogo, como resultado da maior capacidade instalada em solar, apesar dos menores recursos eólicos e solares comparativamente aos primeiros nove meses do ano passado, com a Europa e a América do Norte a representarem 33% e 50% do total de produção, respetivamente.

No mesmo período, a produção na América do Sul e Ásia Pacífico aumentou 83% em termos homólogos, “impulsionada pela maior capacidade solar na Ásia Pacífico”, acrescenta a empresa.

A EDP refere igualmente que “o plano de rotação de ativos para 2023 continua a evoluir positivamente, com duas transações concluídas em Espanha e na Polónia, representando um total de 0,4 GW de capacidade”. As mais-valias destas transações serão contabilizadas no terceiro trimestre de 2023.

A produção térmica diminuiu 54% em termos homólogos (-58% de carvão, diminuindo o peso no total da produção para 6,0%), o que resulta da recuperação hídrica e do aumento da produção renovável.

No Brasil, a produção de carvão continuou a zero nos primeiros nove meses de 2023 e em setembro a EDP assinou o acordo para a venda de 80% da central a carvão de Pecém, com 720 MW de capacidade instalada.

O volume de eletricidade comercializado na P. Ibérica, diminuiu 10% em termos homólogos, refletindo a diminuição dos volumes vendidos a clientes empresariais em Espanha. No Gás, os volumes vendidos diminuíram 31% relativamente aos primeiros nove meses do ano passado.

A eletricidade distribuída até final der setembro diminuiu 1% na Península Ibérica (+0,4% em Portugal) e aumentou 2% no Brasil face ao período homólogo. Neste período, o número de pontos de ligação aumentou 1% na Península Ibérica e 3% no Brasil.

“A atualização das tarifas de acesso em Portugal, em vigor desde 1 de julho, e a venda de €300 milhões de desvio tarifário em setembro resultaram na desaceleração do crescimento dos ativos regulatórios em Portugal” no terceiro trimestre do ano, refere a EDP.

A empresa acrescenta ainda que a proposta do regulador de tarifas e preços para a energia elétrica em 2024, anunciada na segunda-feira, “garante as condições necessárias para a conclusão de novas securitizações de ativos regulatórios até ao final do ano”.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados