26 Fevereiro, 2024

Irão acusa EUA e Reino Unido de fomentarem o caos no Médio Oriente

O Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano acusou hoje os Estados Unidos e o Reino Unido de fomentarem o caos no Médio Oriente, após os últimos ataques que realizaram no Iémen, que Teerão qualificou como uma violação da soberania iemenita.

© D.R.

“Os Estados Unidos e o Reino Unido, com as suas ações militares na região, estão a alimentar o caos, a desordem, a insegurança e a instabilidade com o objetivo de criar um alívio para este regime criminoso [Israel] acusado de genocídio dos palestinianos”, afirmou o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Nasser Kanani, num comunicado.

O diplomata classificou os ataques conjuntos de Washington e Londres no sábado – apoiados pela Austrália, Bahrein, Canadá, Dinamarca, Países Baixos e Nova Zelândia – como uma “violação repetida da soberania e integridade territorial do Iémen e uma violação flagrante do direito internacional”.

Kanani considerou que estes ataques na região “contradizem as repetidas alegações de Washington e Londres de não quererem que a guerra e o conflito se expandam na região” como consequência da guerra de Israel contra o Hamas na Faixa de Gaza, onde já morreram mais de 27 mil pessoas.

Os ataques de sábado são a terceira operação conjunta dos EUA e do Reino Unido desde que ambos os países atacaram o Iémen pela primeira vez, em 12 de janeiro, embora Washington tenha realizado vários bombardeamentos nas últimas semanas contra pontos de lançamento de mísseis e ‘drones’ dos Huthis.

A nova campanha contra o Iémen acontece um dia depois de os EUA bombardearem posições de milícias pró-Irão no Iraque e na Síria, ataques que segundo o Governo iraquiano e a organização não-governamental (ONG) Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) deixaram 45 mortos nos dois países.

O Irão classificou estes ataques como “um erro estratégico do Governo dos EUA” e alertou que apenas aumentarão a tensão na região do Médio Oriente.

Teerão lidera o chamado Eixo da Resistência, uma aliança frouxa composta por organizações rebeldes como o Hezbollah, os Huthis, o movimento islamita Hamas, a Jihad Islâmica e milícias no Iraque, entre outros grupos.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados