17 Abril, 2024

Forças israelitas mantêm ataques no norte e no sul da Faixa de Gaza

O exército de Israel anunciou hoje que realizou novos ataques contra combatentes islâmicos no norte da Faixa de Gaza e no oeste da cidade de Khan Yunis (sul), onde bombardeamentos atingiram áreas residenciais, denunciaram fontes médicas e civis.

©Facebook Israel Reports

“Durante uma atividade conjunta terrestre e aérea na Faixa de Gaza, oito importantes alvos terroristas foram atacados na noite de terça-feira numa área de onde foram disparados foguetes em direção à cidade de Ashkelon”, anunciou o exército israelita hoje num comunicado, sublinhando que foram realizados ataques contra entradas de túneis e infraestruturas utilizadas por alegados combatentes palestinianos.

O exército israelita anunciou na noite de terça-feira a morte de mais dois soldados em Gaza, elevando para 242 o número total de perdas nas suas fileiras desde o início da invasão terrestre de Israel em 27 de outubro.

No bairro de Zaytun, no sul da cidade de Gaza, o exército israelita afirmou ter matado vários combatentes, além de ter localizado armas e eliminado “uma célula terrorista” graças à intervenção de um helicóptero militar.

Já a agência de notícias palestiniana Wafa relatou “bombardeamentos de artilharia e confrontos armados”, enquanto os serviços de emergência do Crescente Vermelho Palestiniano confirmaram ter transportado pelo menos 34 feridos como resultado “de um bombardeamento israelita a duas casas” na cidade de Deir al-Balah, no centro do enclave palestiniano.

No oeste de Khan Yunis, tropas terrestres mataram cinco milicianos após lançarem um míssil contra um veículo, de acordo com o comunicado militar. O bombardeamento realizado por aviões de combate e francoatiradores mataram um número desconhecido de combatentes em complexos militares.

A agência de notícias Wafa denunciou o bombardeamento de “casas residenciais” no oeste de Khan Younis, juntamente com “bombardeamentos e ataques de artilharia israelita”, especialmente na sua região oeste, e mais bombardeamentos na área central contra uma praça residencial no bairro de Al-Amal.

Segundo dados divulgados na terça-feira pelo Ministério da Saúde de Gaza, cerca de 29.900 pessoas já morreram em 145 dias de guerra em Gaza, a maioria destas mulheres e crianças, enquanto Israel afirma ter matado cerca de 12.000 homens do Hamas, um número que o próprio grupo islamita palestiniano estima em 6.000 mortos.

O ataque do Hamas em Israel, ocorrido em 07 de outubro, deixou 1.200 mortos e mais de 240 feridos, segundo as autoridades israelitas.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados