20 Abril, 2024

Imobiliário representa mais de metade do investimento direto estrangeiro em 2023

As transações de investimento direto estrangeiro (IDE) em Portugal foram de 6.800 milhões de euros em 2023, menos 16% do que em 2022, sendo que mais de metade foi investimento imobiliário, divulgou hoje o Banco de Portugal.

© D.R.

 

Do total das transações de IDE em Portugal o ano passado, mais de metade (3.900 milhões de euros) foram relativas a investimento imobiliário (mais 22% do que em 2022).

Aliás, no ano de 2023 o investimento direto estrangeiro em imobiliário atingiu o maior valor desde o início da série do Banco de Portugal (2008).

Quanto ao total das transações de IDE em 2023, a maior parte veio de países da Europa (4.993 milhões de euros), seguido de países da Ásia (1.175 milhões de euros).

No final do ano de 2023, o ‘stock’ de investimento direto estrangeiro em Portugal era de 180.000 milhões de euros (mais 10.600 milhões de euros face a 2022) e o ‘stock’ do investimento direto de Portugal no exterior era de 64.000 milhões de euros.

O BdP disse hoje que “desde 2008 ambos os ‘stocks’ têm aumentado, embora a ritmos diferentes”. O IDE mais do que duplicou entre o final de 2008 e o final de 2023, enquanto o investimento direto de Portugal no exterior cresceu 22%.

O ano passado, as regiões da Grande Lisboa, do Norte e do Algarve concentravam mais de 80% do ‘stock’ de IDE em Portugal.

O investimento direto é um investimento que implica o controlo ou importante grau de influência sobre uma empresa (compra de empresas, compra de importante participação numa empresa ou até concessão de empréstimos).

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados