20 Fevereiro, 2024

Blinken vai discutir crise migratória com Presidente do México a 27 de dezembro

Uma delegação dos EUA liderada pelo secretário de Estado, Antony Blinken, vai ao México a 27 de dezembro para discutir a crise migratória na fronteira, revelou na sexta-feira o Presidente mexicano.

© Facebook de Antony Blinken

Andrés Manuel López Obrador confirmou uma reunião bilateral com Blinken, o secretário de Segurança Interna dos Estados Unidos, Alejandro Mayorkas, e a assessora presidencial Elizabeth Sherwood.

O chefe de Estado mexicano comprometeu-se a reforçar as medidas de contenção dos migrantes no sul do país, na fronteira com a Guatemala.

“O acordo é que continuemos a trabalhar em conjunto e já temos uma proposta para reforçar os nossos planos”, afirmou López Obrador à imprensa.

A visita de Antony Blinken visa “identificar formas do México e os Estados Unidos enfrentarem os desafios de segurança fronteiriça, incluindo ações para reabrir pontos de entrada chave na nossa fronteira comum”, afirmou o Departamento de Estado norte-americano, em comunicado.

As autoridades norte-americanas encerraram a passagem de comboios nas cidades fronteiriças de Eagle Pass e El Paso (Texas) e no posto de entrada de Lukeville (Arizona), em resposta a um aumento na chegada de migrantes.

A delegação norte-americana “salientará a necessidade de canais legais e de medidas adicionais por parte dos parceiros de toda a região”, acrescentou o Departamento de Estado.

O presidente mexicano reconheceu o aumento do número de imigrantes que entram nos Estados Unidos vindos da Venezuela, Haiti, Cuba e Equador.

No mês de dezembro foram registados números históricos de pessoas que procuraram entrar nos EUA pela fronteira com o México.

Em 18 de dezembro, a patrulha de fronteira dos EUA processou os casos de mais de 10.800 pessoas, a maioria destas requerentes de asilo, segundo dados recolhidos pela organização de direitos humanos WOLA.

Mais de 2,4 milhões de migrantes foram intercetados na fronteira terrestre com o México entre outubro de 2022 e setembro de 2023, um número superior ao dos anos anteriores.

O chefe da diplomacia dos EUA esteve pela última vez na Cidade do México em outubro, onde se reuniu com López Obrador e altos funcionários do Governo mexicano para abordar a crise do tráfico de fentanil e os fluxos migratórios.

A crise migratória está a expor o Presidente democrata Joe Biden a fortes ataques dos republicanos, em vésperas de um ano eleitoral.

Em 06 de dezembro, Biden afirmou estar disposto a fazer “compromissos significativos” com os republicanos, que exigem um endurecimento da política de imigração em troca do levantamento do bloqueio no Congresso ao envio de mais ajuda militar para a Ucrânia.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados