4 Março, 2024

Agenda 2030, a arma do Leftism.

Uma das mais belas capitais da Europa em estado de sítio, porquê?
Será que é só o facto do aumento da idade da reforma de 62 anos para 64 anos?
Obviamente que não, o que o leftismo tem acumulado com a sua agenda tem tornado cada vez mais a nossa sociedade fundamentalista, isto é a adrenalina para as “ confusões sociais”. Que promessas nos induzem na nossa cabeça, que ideias separatistas nos incutem, que foco nos metem no horizonte?
Vale a pena pensar, em cada uma delas e ao mesmo tempo olhar para toda a narrativa. A agenda 2030 é o espelho disso mesmo, vejamos cada ponto desta agenda, vejamos os conflitos assumidos em acabar com o mundo e a civilização conservadora, o ataque feroz à cultura, à instituição da família, aos costumes e vida social conservadora.
Temos de fazer a seguinte pergunta, isto é em nome de quê?
Melhores condições de vida!! Quando o que vimos e assistimos é a ampliação dos mais abonados e a distância para os mais desfavorecidos?
O ambiente, quando nos querem impor regras proibitivas e fundamentalistas em defesa do ambiente, que só nos trazem maiores dificuldades, a maior ferida ao ambiente é a loucura industrial de 3 países e aí ninguém tem a coragem de tocar ou ir “ pregar “ causas ambientais, A China, EUA e a Índia, só a China polui o dobro do EUA e 4 vezes o que polui a Índia, no entanto na China ninguém tem a coragem de pressionar ou limitar a actividade, situação que nos mata aos poucos, entendo porque afinal é um dos gigantes da doutrina do Leftism.

Campanhas na Dinamarca a favor do ambiente quando é o país menos poluidor do mundo? Faz algum sentido? Terá de existir coragem de uma vez por todas em terminar esta narrativa hipócrita de esquerda e ser mais objetivo nas ideias e não deixar a penetração destas mensagens subtis que no fundo o que pretende é colocar-nos uns contra os outros.
Este acumular de ideias e narrativas são a verdadeira gasolina que incendiou a capital francesa, Paris está e pagará caro a doutrina Leftist, acham que a força e a dimensão da “ luta” na rua se justifica, apenas pelo facto de a idade da reforma aumentar 2 anos? Se a população envelhece mais e existe falta de recursos humanos é lógico que um francês tenha de trabalhar até aos 64 anos para garantir os seus benefícios, ao lado existe quem tenha de trabalhar até aos 66 ou 67 com muito menos benefícios sociais que os franceses.
O multiculturalismo, o ambiente, o desequilíbrio económico, a injustiça, a religião e a “ guerra de gêneros” serão as novas causas fundamentalistas do futuro a curto prazo. Se o Leftism vencer vamos todos sofrer como sociedade e nem sabemos o porquê nem o motivo desta agenda 2030.
Se o objetivo maior desta agenda é a defesa do meio ambiente, acabar com a pobreza e a qualidade da vivência em sociedade, todas estratégias vão produzir o seu contrário.
A pobreza elimina-se com reformas económicas e com a possibilidade de através do trabalho garantir a sua sobrevivência e alguma capacidade de aforro, nunca será solução através de subsidiação.
O ambiente para ser protegido é atuar diretamente na causa e não em campanhas de marketing e manifestações ruidosas. Existe a coragem de castigar a China? Óbvio que qualquer governo que se pense nisto a seguir vai tremer das pernas. O grande capitalismo Chinês já se encontra entrelaçado nos governos de qualquer país.
A sociedade tradicional é alvo de tantos ataques, a instituição “família” e a guerra de géneros, tem que objectivo ? Só vejo o de criar distúrbios e confusão.
Pelo fim do Leftism, pelo fim da anarquia e pelo fim do fundamentalismo da agenda 2030.
O CHEGA está seguro e determinado do que não quer e do que vale a pena lutar.

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados