21 Maio, 2024

Greve na CP suprimiu 141 comboios até às 08:00

©Folha Nacional

A CP suprimiu 141 comboios dos 253 programados entre as 00:00 e as 08:00 de hoje devido à greve de 24 horas dos maquinistas da transportadora, segundo um balanço enviado pela empresa à Lusa.

Os maquinistas da CP cumprem uma nova greve de 24 horas, desde a meia-noite, com serviços mínimos decretados, convocada pelo Sindicato Nacional dos Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses (SMAQ), contra a última proposta de aumentos salariais de 51 euros.

A empresa prevê “fortes impactos” na circulação, hoje, e ligeiras perturbações nos restantes dias até dia 18, em que os maquinistas não irão realizar serviços que durem mais de sete horas e meia.

De acordo com um balanço feito hoje de manhã à Lusa, dos 253 comboios programados entre as 00:00 e as 08:00, foram realizados 112 e suprimidos 141 (55,7%).

A CP – Comboios de Portugal indica que estavam previstos 66 comboios regionais, mas não se fizeram 34 ligações, tendo sido realizadas 32.

Quanto aos urbanos de Lisboa, estavam previstos 115, foram suprimidos 76 e efetuados 39.

De acordo com a empresa, nos urbanos do Porto, estavam programados para aquele período 52, foram realizados 31 e suprimidos 21.

Nos comboios urbanos de Coimbra, estavam previstos oito, foram cancelados quatro, o mesmo número dos realizados.

No que diz respeito aos comboios de longo curso, estavam previstos 12, foram suprimidos seis e realizados também seis.

O tribunal arbitral decretou serviços mínimos de cerca de 30% a nível nacional, bem como no que seja necessário à segurança e manutenção do equipamento e instalações e de serviços de emergência e comboios de socorro.

A paralisação foi convocada em protesto contra a última proposta da empresa de aumentos salariais de 51 euros, que representa uma progressão média na carreira de 3,89% e que a estrutura sindical considera “claramente inaceitáveis”.

Assim, entre as 00:00 e as 23:59 de hoje, os trabalhadores fazem “greve à prestação de todo e qualquer trabalho dos trabalhadores das categorias representadas pelo SMAQ (com efeitos às últimas horas de quinta-feira e as primeiras horas de sábado)”.

Adicionalmente, entre as 00:00 de sábado e as 23:59 de dia 17, está convocada “greve à prestação de trabalho a todos os períodos normais de trabalho diários que tenham a duração prevista superior a sete horas e 30 minutos, para as categorias Maquinista ou Maquinista Técnico”.

Já entre as 00:00 de sábado e as 23:59 do dia 17, fazem “greve à prestação de trabalho a todos os períodos normais de trabalho diário que impliquem entradas e/ou saídas na sede entre as 00:00 e as 06:00, para as de Maquinista ou Maquinista Técnico”, e, entre as 00:00 do dia 14 e as 23:59 do dia 17, “greve a todos os períodos normais de trabalho que tenham a duração prevista superior a seis horas, para as categorias Inspetor de Tração ou Inspetor Chefe de Tração”.

Em fevereiro, as greves convocadas por vários sindicatos da CP levaram à supressão de centenas de comboios por dia.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados