22 Fevereiro, 2024

“Rabo de Peixe” somou 31,5 milhões de horas de “streaming” até junho na Netflix

Nas primeiras semanas de exibição, a série portuguesa esteve no 'top' global das dez séries mais vistas em línguas que não o inglês. Esta é a segunda série de ficção portuguesa produzida para a Netflix, depois de "Glória", de Pedro Lopes.

© D.R.

A série portuguesa “Rabo de Peixe”, de Augusto Fraga, somou globalmente 31,5 milhões de horas de visualização na plataforma de ‘streaming’ Netflix, segundo dados de exibição do primeiro semestre deste ano, divulgados esta terça-feira pela empresa norte-americana.

Pela primeira vez, a plataforma de ‘streaming’ revelou um relatório global com alguns dados gerais de audiência referentes ao primeiro semestre de 2023, para aferir a relação dos espectadores com o catálogo disponível e para responder às críticas de falta de transparência e de informação, disse o co-administrador da Netflix, Ted Sarandos, em conferência de imprensa.

“Ao longo do tempo, temos procurado ser cada vez mais transparentes sobre o que as pessoas veem na Netflix. (…) A melhor medida para perceber a relação dos espectadores com os títulos em exibição é pelo número de horas”, sublinhou.

A lista divulgada apresenta mais de 18.000 obras exibidas na Netflix que tenham tido, no primeiro semestre deste ano, pelo menos mais de 50.000 horas de ‘streaming’. São ainda adicionadas informações sobre a data de estreia e se a exibição foi ou não global.

No total, esses mais de 18.000 títulos elencados representaram perto de 100 mil milhões de horas visualizadas no primeiro semestre.

A série portuguesa “Rabo de Peixe”, produzida para a Netflix e estreada em maio, está entre as 500 produções com mais horas de visualização, a nível global, sendo a lista encabeçada pela primeira temporada da série “O agente da noite”, de Shawn Ryan, com 812,1 milhões de horas de visualização entre janeiro e junho.

“Isto é mais informação do que aquela que precisam, mas creio que ajuda a criar um melhor ambiente para sindicatos, para nós, para produtores, para os criadores e para os media”, afirmou.

Desde 2021, a Netflix, uma das maiores plataformas mundiais de exibição online, tem vindo a divulgar dados de consumo, com tabelas semanais dos títulos mais vistos, ou listas das obras mais populares, mas só agora é que revela informações sobre obras licenciadas para ‘streaming’ e de produção própria.

“Rabo de Peixe”, que tem garantida uma segunda temporada, é uma produção da Ukbar Filmes para a Netflix, a partir de uma ideia de Augusto Fraga, que correalizou com Patrícia Sequeira.

Nas primeiras semanas de exibição, a série portuguesa esteve no ‘top’ global das dez séries mais vistas em línguas que não o inglês.

Esta é a segunda série de ficção portuguesa produzida para a Netflix, depois de “Glória”, de Pedro Lopes, realizada por Tiago Guedes, com produção da SPI e estreada em novembro de 2021.

De acordo com a lista de 18.000 títulos de séries e filmes elencada pela Netflix, “Glória” teve 1,6 milhões de horas de visualização entre janeiro e junho deste ano.

Segundo a Netflix, no primeiro semestre deste ano, 30% do total de horas consumidas diziam respeito a produções em língua não-inglesa.

Destaque ainda para a série “Até que a vida nos separe”, realizada por Manuel Pureza, cuja primeira temporada se estreou em fevereiro de 2022 e que este ano, até junho, somou 400.000 horas de ‘streaming’.

O serviço de ‘streaming’ da empresa norte-americana Netflix está disponível em Portugal desde outubro de 2015.

Atualmente, conta com 247 milhões de subscritores que pagam para aceder ao serviço e está presente em mais de 190 países.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados