27 Fevereiro, 2024

Bombeiros sapadores concentrados no parlamento para pedir subsídio de risco

Cerca de meio milhar de bombeiros sapadores de todo o país estão concentrados hoje frente à Assembleia da República, em Lisboa, para reivindicar a atribuição de um subsídio de risco e que a profissão seja considerada de desgaste rápido.

© Folha Nacional

 

“Não há bombeiros sapadores sem risco” ou “é preciso arder a assembleia”, são algumas das mensagens que se podem ler em tarjas colocadas no gradeamento junto à escadaria da Assembleia da República.

A concentração, que reúne bombeiros sapadores de todo o país, foi convocada de forma “informal”, através das redes sociais, segundo disse à agência Lusa Carlos Coelho, do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, explicando que a ação serve para colocar na “agenda política” os problemas destes profissionais.

“Não é por oportunismo. É apenas por ‘timming’. Estamos com uma classe política que está quase a ir a eleições e queremos que os partidos políticos tenham em atenção que a classe dos bombeiros sapadores tem imensas carências”, apontou.

Segundo disse à Lusa um dos participantes do protesto, a concentração conseguiu reunir mais de 500 bombeiros sapadores.

A atribuição de um subsídio de risco “efetivo” e o reconhecimento dos bombeiros sapadores como uma profissão de “desgaste rápido” são as principais reivindicações destes profissionais.

No mesmo sentido, Paulo Carvalho, do Regimento de Sapadores Bombeiros do Porto, lamentou que os sucessivos governos não tenham olhado para estes profissionais “com o devido respeito e reconhecimento”, defendendo a necessidade de o futuro Governo “valorizar a carreira dos bombeiros”.

“Cada vez que mexeram no nosso estatuto, cada vez que mexeram na nossa carreira foi para prejudicar. Uma delas é os 60 anos e seis meses para a reforma. É irrisório. Nós temos uma profissão de desgaste rápido. Temos uma profissão de risco e estamos constantemente em ambientes hostis”, apontou.

Os profissionais preveem ficar concentrados junto da Assembleia da República até cerca das 21:00.

Há cerca de uma semana, um conjunto de dirigentes sindicais dos bombeiros sapadores portugueses concentrou-se junto ao Palácio de Belém para pedir ao Presidente da República apoio para as suas reivindicações, exigindo um tratamento semelhante ao resto das forças de segurança por parte do Governo.

Estas reivindicações acontecem num momento em que se discutem aumentos dos subsídios de risco para a Polícia de Segurança Pública (PSP) e Guarda Nacional Republicana.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados