23 Maio, 2024

Recluso agride dois guardas prisionais na prisão do Linhó

Dois guardas prisionais foram hoje agredidos a soco por um recluso no estabelecimento prisional do Linhó, em Sintra, elevando para oito o total de agressões a guardas nesta cadeia desde o início do ano, denunciou o sindicato.

© D.R.

 

Segundo o dirigente do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) Frederico Morais, as agressões ocorreram por volta das 17:30, depois de um recluso que se encontrava nos balneários a tomar banho ter recusado obedecer à ordem do guarda que lhe ordenou que saísse do local, atingindo-o a soco na cara.

Após esse primeiro incidente, levado até à chefia da guarda prisional na prisão, o recluso agrediu um segundo guarda, também a soco, nessa ocasião.

Segundo Frederico Morais, o sindicato reuniu-se com a diretora do estabelecimento prisional há cerca de um mês para pedir que os reclusos desocupados, que não estudam nem trabalham no interior do estabelecimento, “e que são os que estão a provocar problemas com os guardas”, passem a ficar fechados 22 horas por dia, “o máximo que a lei permite”.

O dirigente sindical referiu à Lusa que a diretora do estabelecimento prisional do Linhó pediu nesse momento mais tempo para avaliar a situação, não tendo ainda dado resposta.

Frederico Morais disse que já houve oito agressões a guardas na prisão do Linhó desde o início do ano e 14 em todas as prisões.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados