22 Junho, 2024

Linha SNS 24 atendeu mais de 24.600 grávidas no ano passado

A Linha SNS 24 atendeu mais de 24.600 chamadas de grávidas no ano passado e, nos primeiros cinco meses deste ano, os números aumentaram face ao período homólogo, tendo sido atendidas cerca de 19.200, segundo dados oficiais.

© D.R.

De acordo com os dados dos Serviços Partilhados da Saúde (SPMS), a Linha SNS 24, que agora tem um serviço especifico, mas com os mesmos 1.700 operadores, recebeu no ano passado 24.666 chamadas de grávidas.

Os SPMS dão conta de uma subida de chamadas de mulheres grávidas recebidas este ano, tendo sido atendidas nos primeiros cinco meses do ano cerca de 19.200.

O Plano de Emergência e Transformação da Saúde previa, como medida urgente, a criação da Linha SNS Grávida, que entrou em funcionamento no sábado, através da Linha SNS24 (808 24 24 24). Nos primeiros três dias atendeu 450 chamadas de grávidas.

Segundo explicou a ministra da Saúde na terça-feira, numa visita à Linha SNS Grávida, as chamadas são atendidas por enfermeiros, que seguem um algoritmo cientificamente validado pela Direção-Geral da Saúde que classifica a situação em que está a mulher grávida.

Este novo canal de atendimento direto de grávidas pretende dar resposta à procura de urgências de ginecologia/obstetrícia, enquanto área em que se sentem maiores dificuldades no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Com a linha SNS Grávida, o Governo pretende organizar o circuito da grávida, em particular em situações de urgência, garantindo uma “resposta de qualidade e segurança”.

“Através desta linha de atendimento, as grávidas terão acesso a profissionais qualificados e capacitados que estarão disponíveis para oferecer orientação personalizada, tranquilizando as gestantes e proporcionando-lhes confiança durante todo o processo de prestação de informação e direcionamento para unidades de saúde com capacidade efetiva de assistência”, refere o plano de emergência.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados