21 Maio, 2024

Comboio lotado parado mais de uma hora perto da estação de Benfica

©CP-Comboios de Portugal

Um comboio da CP, que seguia lotado devido à greve, ficou hoje parado mais de uma hora a um quilómetro da estação de Benfica, Lisboa, com alguns passageiros a sentirem-se mal, adiantou à Lusa fonte policial.

Segundo fonte do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, alguns passageiros sentiram-se mal dentro do comboio que fazia a ligação Lisboa-Sintra, tendo alguém acionado o travão de emergência.

Outros passageiros optaram por sair das carruagens e caminhar pela linha em direção à estação de Benfica, constatou a agência Lusa em publicações nas redes sociais, onde relatavam que o comboio estava parado há mais de uma hora.

Nos vídeos divulgados nas redes sociais, vêm-se carruagens lotadas de passageiros e várias pessoas a caminharem pela linha de caminho-de-ferro.

Ainda segundo a PSP, o incidente ocorreu ao final da tarde de hoje após alegadamente ter sido acionado o botão de emergência que imobilizou o comboio.

Foram deslocados meios de socorro para o local, para ajudar algumas pessoas, acrescentou a mesma fonte.

Fonte dos Sapadores Bombeiros de Lisboa referiu apenas à Lusa que estava no local com oito operacionais, apoiados por duas viaturas.

A CP suprimiu hoje, entre as 00:00 e as 18:00, 746 comboios de um total de 985 programados, em mais um dia de greve de vários sindicatos da transportadora, segundo dados enviados à Lusa.

Neste período, a CP efetuou 239 comboios, cumprindo os serviços mínimos estabelecidos, o que corresponde a um nível de supressão de 75,7%.

No serviço de longo curso, a CP suprimiu 43 comboios de 58 programados e no serviço regional não foram realizados 199 comboios de 261 estimados.

Nos urbanos de Lisboa, foram suprimidos 354 comboios de um total de 468 programados e no Porto não se realizaram 150 comboios em 198 estimados.

Os trabalhadores da CP deram início na segunda-feira a mais greves, com a transportadora a alertar para “fortes perturbações” até quinta-feira, num protesto pelo impasse nas negociações salariais que também envolve a Infraestruturas de Portugal (IP).

A CP já tinha alertado na sexta-feira para “fortes perturbações” na circulação dos comboios entre as 00:00 de segunda-feira e as 23:59 de quinta-feira, devido a greve, havendo serviços mínimos decretados para os quatro dias (25%).

A greve foi convocada pelo SINFA, Associação Sindical das Chefias Intermédias de Exploração Ferroviária (ASCEF), Sindicato Independente Nacional dos Ferroviários (SINFB), Sindicato Independente dos Operacionais Ferroviários e Afins (SIOFA), Associação Sindical Independente dos Ferroviários de Carreira Comercial (ASSIFECO), Federação Nacional dos Transportes, Comunicações e Obras Públicas (FENTCOP), Serviços Técnicos Ferroviários (STF), STMEFE – Sindicato dos Trabalhadores do Metro e Ferroviários (STMEFE), Sinafe – Sindicato Nacional dos Ferroviários do Movimento e Afins, Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTF) e Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap).

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados