2 Abril, 2023

Taxa de juro do crédito à habitação atingiu em janeiro novo máximo desde 2014

©D.R.

Os bancos emprestaram 1.385 milhões de euros para crédito à habitação em janeiro, menos 11 milhões de euros que em dezembro, mas com a taxa de juro de 3,32%, um máximo desde março de 2014, segundo o BdP.

A taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação subiu para 3,32% no mês em análise, contra 3,24% em dezembro e 0,81% em termos homólogos, e registou o maior valor desde março de 2014 (quando alcançou 3,39%).

Segundo o regulador e supervisor bancário, em janeiro, 69% do montante dos novos empréstimos para habitação própria permanente foi feito a taxa variável, enquanto 7% foi a taxa fixa e 24% a taxa mista.

“Embora se mantenha a preferência por empréstimos à habitação a taxa variável, o peso dos novos empréstimos a taxa mista tem vindo a aumentar, atingindo 24% do montante de novos empréstimos realizados em janeiro”, destaca o BdP.

De igual forma, 32% do montante de novos empréstimos à habitação representaram renegociações, “mantendo o aumento observado nos meses anteriores”.

Ainda quanto aos novos créditos emprestados pelos bancos em janeiro, nesse mês foram concedidos 401 milhões de euros em crédito ao consumo, menos cinco milhões de euros face a dezembro. A taxa de juro média foi de 8,48% (acima dos 7,97% em dezembro).

Em crédito para outros fins foram concedidos 134 milhões de euros em janeiro, mais 86 milhões de euros face a dezembro.

Já os novos empréstimos às empresas concedidos pelos bancos em janeiro recuaram para 1.288 milhões de euros, contra 3.319 milhões no mês anterior.

A taxa de juro média dos empréstimos às empresas voltou a subir e fixou-se em 4,70% (4,44% em dezembro). A subida verificou-se tanto nos empréstimos até um milhão de euros (de 4,45% para 4,95%) tendo ficado nos 4,42% nos empréstimos acima de um milhão de euros.

Quanto a depósitos, em janeiro, os novos depósitos a prazo de particulares atingiram 5.727 milhões de euros, mais 571 milhões de euros que no mês anterior. A taxa de juro média dos novos depósitos a prazo de particulares aumentou para 0,56% (0,35% em dezembro), tendo sido verificada “a maior subida em 11 anos”.

Já os novos depósitos a prazo de empresas totalizaram 4.883 milhões de euros em janeiro, menos 1.065 milhões de euros face a dezembro. A taxa de juro média foi de 1,05% (0,97% em dezembro).

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados