26 Setembro, 2023

Meios aéreos reforçam combate às chamas em Odemira e Ourém

© DR

A Proteção Civil reforçou hoje os meios de combate aos dois incêndios que maiores preocupações levantam às autoridades, com nove meios aéreos para o de Odemira e cinco para o de Ourém.

“Para ambos os incêndios foi delineada uma estratégia de combate em ambos os flancos que estão a afetar a área do incêndio e vamos reforçar agora com (…) os meios aéreos pesados (…), com cinco meios aéreos para Ourém e nove para Odemira”, disse à Lusa o comandante José Miranda, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

O responsável disse ainda que “nada se alterou” dentro do plano estratégico que tinha sido delineado no início da noite e que os meios aéreos deverão começar a atuar pelas 09:00.

O incêndio que deflagrou no sábado em Odemira, no distrito de Beja, já obrigou a evacuar quatro locais no concelho de Odemira (Vale dos Alhos, Vale de Água, Choça dos Vales e Relva Grande) e mais uma unidade de Turismo Rural, num total de mais de 100 pessoas retiradas.

Numa nota publicada na página oficial da autarquia na rede social Facebook, a Câmara de Odemira revelou que o presidente, Hélder Guerreiro, determinou a ativação do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil, com efeitos às 14:30 de domingo.

Segundo a informação da ANEPC, este incêndio mobilizava pelas 08:55 de hoje 573 operacionais, apoiados por 205 viaturas, às quais se juntarão agora nove meios aéreos.

Já em Ourém, no distrito de Santarém, o incêndio que deflagrou no domingo mobilizada pelas 08:55 de hoje 325 operacionais, apoiados por uma centena de viaturas, às quais se vão juntar cinco meios aéreos.

Quanto ao incêndio que deflagrou durante a madrugada de hoje em Mangualde, no distrito de Viseu, o comandante José Miranda disse que também deverá ser reforçado com meios aéreos, sem precisar quantos.

Pelas 08:55, segundo a informação disponível no ‘site’ da ANEPC, estavam envolvidos no combate ao incêndio de Mangualde 80 operacionais, apoiados por 17 veículos.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), mais de 120 concelhos do interior Norte e Centro e dos distritos de Beja e Faro estão hoje em perigo máximo de incêndio.

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, o Governo está a ponderar declarar situação de alerta devido ao elevado perigo de incêndios rurais, disse hoje a secretária de Estado da Proteção Civil.

Desde o início do ano, as mais de 5.529 ocorrências de fogo já afetaram 19.106 hectares de espaços rurais.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados