22 Julho, 2024

Mais de 1.500 participações de violência doméstica feitas em cinco anos no distrito de Aveiro

Nos últimos cinco anos foram apresentadas 1.542 participações de violência doméstica na área da PSP no distrito de Aveiro, tendo sido detidas 43 pessoas por este tipo de crime, segundo dados avançados hoje por esta força policial.

© D.R.

Entre 2019 e setembro de 2023, o Comando Distrital de Aveiro da PSP, que abrange as cidades de Aveiro, Espinho, Ovar, Santa Maria da Feira e São João da Madeira, registou 1.542 participações de crimes de violência doméstica, tendo sido efetuadas 43 detenções, a maior parte das quais por mandado de autoridade judiciária.

Os números foram avançados pela comandante distrital, Virgínia Cruz, durante a cerimónia de inauguração da sala de apoio à vítima, que foi criada no edifício da Divisão Policial de Aveiro.

O ano com o maior número de participações foi 2019, quando ocorreram 365. Seguem-se os anos de 2022 (345), 2021 (312) e 2020 (299). Até ao passado mês de setembro, foram registadas 221 participações, o que, segundo a comandante distrital, revela “uma tendência decrescente deste tipo de crime”.

“A violência doméstica aparecia sempre no top 5 como primeiro ou segundo crime mais denunciado na área do comando de Aveiro e agora desceu de nível, e terá sido no mês passado o quarto ou quinto crime mais participado no comando”, assinalou a responsável.

Virgínia Cruz referiu ainda que destas participações resultaram 1.636 avaliações de risco, a maior parte das quais de risco baixo e de risco médio, adiantando que, apesar de já começarem a aparecer vítimas homens, “a maior parte das vítimas são mulheres”.

Apesar da redução das participações dos crimes de violência doméstica, Virgínia Cruz considerou que ainda é preciso “investir muito” na prevenção deste fenómeno e nas respostas, para que a vítima possa ser reabilitada.

Na área da investigação criminal, em 2023, o Comando Distrital da PSP de Aveiro tem 364 inquéritos iniciados por violência doméstica, 379 inquéritos concluídos e 116 pendentes.

“Isso faz-se à conta de muitos poucos polícias”, disse Virgínia Cruz, naquele que considerou ser o seu último ato oficial como comandante distrital da PSP de Aveiro, agradecendo todo o esforço que tem sido feito pelos agentes, que muitas vezes fazem “das tripas coração” para cumprir a sua missão.

A superintendente Virgínia Cruz, que viu este ano renovada a sua comissão de serviço à frente do Comando Distrital por um novo período de três anos, vai a partir de segunda-feira assumir novas funções na PSP, não tendo sido ainda anunciado o seu sucessor.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Receba o Folha Nacional no seu e-mail

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados