15 Abril, 2024

VI Convenção

© Folha Nacional

Resido em Setúbal e exerço a minha profissão no Barreiro. Desde 2020 que sou militante de base, tendo sido eleito autarca em Azeitão nas últimas autárquicas. O meu contacto é com o povo, ouvindo e escutando as suas necessidades e preocupações. Um povo que está descrente na classe política do nosso país, descrente num presente e futuro que se avizinha.

Vemos todos os dias Portugal a ser delapidado no seu património, e sistematicamente a tentarem reescrever a história de Portugal que tanto nos orgulha. Uma história que em parte é contada na nossa bandeira, através das cores e símbolos. A bandeira que recentemente banalizaram através de um símbolo com três cores, sem história e que nos confunde com outras bandeiras africanas que usam as mesmas cores que nós. Vendem o nosso país a políticas migratórias absurdas, que nos causam problemas gravíssimos na habitação, geram uma economia paralela, precariedade no emprego e aumento na despesa da segurança Social com a distribuição de mais subsídios. Este descontrole migratório está a retirar-nos identidade e tradição, provocando um clima de insegurança de Norte a Sul do País. 

Mas o que me trás aqui, é transmitir o sentimento do povo:

António 45 anos, agente de autoridade vê com tristeza e desmotivação a falta de meios humanos e materiais, o desinvestimento nas polícias, a enorme desmotivação ás alterações estatutárias que em nada beneficiam os elementos efetivos, assim como o silêncio e arrogância que este governo tem para com eles.

Gabriel 55 anos, proprietário de uma pequena mercearia, não consegue competir com as desigualdades de direitos e deveres que os concorrentes “estrangeiros” (novas mercearias que abrem de imigrantes). As obrigações fiscais não são as mesmas, como a fiscalização não é a mesma…  vê os portugueses a fecharem pequenos negócios porque não conseguem ser competitivos.

Sandra 44 anos, Professora de ensino básico quer recuperar na integra todo o tempo de serviço congelado, assim como gostaria de ter ajudas de custo quando tem de lecionar deslocada da sua área de residência

Pedro 40 anos, Enfermeiro luta para que a tabela salarial, progressão de carreira e compensação de risco, seja uma realidade…

Mariana 19 anos, estudante universitária, gostaria que houvesse mais bolsas de estudo disponíveis, assim como ajudas ou alojamentos mais acessíveis ao estudante. Desabafa que é inaceitável que o governo português queira fazer a devolução aos estudantes estrangeiros o valor das propinas que pagaram no país de origem, sem nunca ter gasto um cêntimo no nosso Sistema Educativo…

Fernanda 26 anos, grávida de 6 meses e já com um filho de 3 anos, quer encontrar urgências de obstetrícia, ou urgências pediátricas na sua área de residência, sem ter que adivinhar qual ou em qual lhe darão assistência. 

Paulo e Carmen, pais de uma criança de 10 anos, não querem ver lecionadas matérias referentes á Ideologia de género na escola do seu filho, mas sim o reforço nos valores familiares e cristãos. 

Podia aqui continuar a dar inúmeros testemunhos de pessoas que me abordam e contactam, mas uma coisa é certa…

O povo quer a mudança, quer alguém que nos mude a governação que nos levou ás eleições de 10 de Março de 2024

O povo quer melhores condições, melhor qualidade de vida, com perspetivas de um futuro melhor para os nossos filhos, netos e gerações futuras.

A 9 de Abril de 2019, é fundado o verdadeiro partido á direita, a voz que o verdadeiro povo português ansiava e desejava. Uma verdadeira Direita do povo de valores sociais, nacionalistas e conservadoras que quer acabar com a corrupção e tem como prioridade políticas nas áreas da saúde e da justiça.

A 10 de Março de 2024, o povo irá eleger a Primeiro Ministro o Professor Dr André Ventura… ele e só ele terá a capacidade de efetuar as mudanças que o nosso País precisa…

Por isso peço a todos os companheiros do Chega, temos de fazer a maior campanha possível, temos de ir para a ruas…

As ruas terão de ser nossas, da verdadeira Direita… terão der sentir a nossa força e união em prol do nosso líder

As sondagens não refletem o verdadeiro número que iremos alcançar. O verdadeiro número irá nos trazer a Vitória a 10 de Março, mas para isso é preciso trabalhar e levar a nossa bandeira a todos os cantos do País.

Termino com uma frase do nosso líder

“Peço apenas uma oportunidade, uma para governar Portugal e tornar um País melhor”

Força Dr André Ventura

Viva o Partido Chega

Viva Portugal

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados