17 Julho, 2024

Rui Costa rejeita “crise de liderança” e quer Benfica “cada vez mais vitorioso”

O presidente do Benfica, Rui Costa, afirmou hoje que “não há nenhuma crise de liderança” no clube, que quer que seja “cada vez mais vitorioso”, rejeitando que os sócios coloquem em causa a seriedade e caráter da direção.

©facebook.com/SLBenfica

“Não há nenhuma crise de liderança no Benfica. Não há vazios ou ausência de decisão. Assumimos as nossas responsabilidades e temos um projeto para o futuro deste clube. Não viro as costas, nem fujo às minhas obrigações. Eu respondo por mim e pela minha equipa, mesmo por aqueles que decidiram sair. Nós vamos voltar a vencer no futebol e continuar a vencer nas modalidades. O Benfica vai permanecer como o clube mais vencedor em Portugal, como tem sido nas duas últimas épocas”, salientou o dirigente.

Em discurso aos associados presentes na assembleia-geral ordinária do Benfica, que foi deslocada para o Estádio da Luz devido à grande afluência de pessoas, Rui Costa frisou a vertente desportiva, no qual as ‘águias’ conquistaram, na última temporada, oito em 12 campeonatos, no futebol e modalidades de pavilhão, com seis em 12 nesta época, na qual ainda estão na luta para vencerem no hóquei em patins, masculino e feminino.

“Mais uma vez, o dobro dos nossos adversários em conjunto e, afinal, parece que, no Benfica, tudo está mal e tudo precisamos de mudar. Exigência e ambição, sim. Mas não nos podemos autodestruir. Temos também de saber valorizar o que ganhámos. Já chegam todos os que nos querem abater pela grandeza e por ser quem somos”, disse.

Do lado de fora do Estádio da Luz foram audíveis vários assobios e alguns pedidos de demissão à direção dos ‘encarnados’ durante o discurso de Rui Costa, que foi tocando em vários pontos da atualidade do clube, com agradecimentos à enorme participação.

“Podemos discutir política desportiva, podemos criticar e debater a estratégia do clube e discutir a minha liderança, mas não posso admitir que coloquem em causa o caráter e a seriedade de quem aqui está”, atirou o ex-futebolista, que alegou ter feito questão de que os sócios discutissem os estatutos e acedessem à auditoria antes desta reunião magna, “num sentido democrático e com a transparência que o Benfica exige”.

Em relação ao orçamento hoje discutido na assembleia-geral, Rui Costa considerou-o “ambicioso” e a privilegiar a vertente desportiva, embora de uma maneira equilibrada.

“É um orçamento ambicioso, que mais uma vez privilegia a vertente desportiva e que pretende apetrechar as nossas equipas das melhores condições para ganharem. Ainda assim, este trata-se de um orçamento equilibrado e responsável, que reforça a robusta situação económica e financeira que nós soubemos construir. É também um reflexo da estratégia que seguimos e que queremos para o futuro do nosso Benfica. Queremos um Benfica cada vez mais vitorioso”, explicou o líder das ‘águias’, no cargo desde 2021.

Rui Costa reforçou ainda que o Benfica “não aceita receber menos do que atualmente e não sairá prejudicado com a centralização dos direitos televisivos”, adiantando que o clube tem procurado “informar os sócios de tudo”, em matéria de transparência e boas práticas.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Receba o Folha Nacional no seu e-mail

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados