21 Fevereiro, 2024

CHEGA confronta Cravinho com corrupção na Defesa

Num debate parlamentar de urgência requerido pelo CHEGA, sobre “as suspeitas de corrupção no Ministério da Defesa Nacional”, os partidos da oposição criticaram a atuação de João Gomes Cravinho na sua anterior pasta no Governo, entre 2018 e 2022.

No início do debate parlamentar, o líder do CHEGA, André Ventura, salientou que o seu partido requereu a presença do ministro dos Negócios Estrangeiros no parlamento devido ao “desprestígio enorme” que causou às Forças Armadas, após “o escândalo terrível que abanou os alicerces” daquela instituição.

Depois de considerar que tudo o que está a ser atualmente alvo de investigação “cheirava a suspeita” e “aparentava a suspeita”, Ventura acusou Gomes Cravinho de, “contra todas as evidências, contra as inúmeras questões da oposição, contra as consecutivas chamadas de atenção neste parlamento”, ter decidido “manter a confiança” em quadros do setor da Defesa que estão agora a ser investigados.

“É nossa convicção que o senhor ministro não tem condições para continuar como ministro da República”, defendeu.

A oposição criticou a nomeação do ex-diretor-geral de Recursos da Defesa Nacional Alberto Coelho, entretanto detido por suspeitas de corrupção, para uma empresa pública neste setor, com o PS a defender João Gomes Cravinho.

No início deste mês, a Polícia Judiciária desencadeou, em coordenação com o Ministério Público, a operação “Tempestade Perfeita”, que resultou em cinco detenções, entre as quais três altos quadros da Defesa e dois empresários, num total de 19 arguidos, que respeita ao período em que João Gomes Cravinho tutelou aquele ministério.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados