4 Março, 2024

Companhia aérea Azul teve prejuízo de 137,2 milhões no primeiro trimestre

© Facebook/AzulLinhasAereas

A companhia aérea brasileira Azul, que detém uma participação de 45% na estatal portuguesa TAP, informou hoje que registou prejuízos de 727,6 milhões de reais (137,2 milhões de euros) no primeiro trimestre do ano.

Num comunicado enviado ao mercado, a empresa informou que as perdas do primeiro trimestre devem-se aos diferentes ajustamentos da frota que a empresa está a realizar face ao seu plano de reestruturação, bem como aos gastos associados a serviços de assessoria e a um ajustamento para um contrato de manutenção de um motor, que deverá ser substituído antes do final do ano.

Por outro lado, a empresa destacou que a sua receita bruta no trimestre aumentou 40,3% na mesma comparação para 4,4 mil milhões de reais (cerca de 822 milhões de euros), valor recorde para o período.

O resultado operacional medido pelo Lucro Antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (da sigla em inglês Ebitda) saltou 73,8%, para 1.030 milhões de reais (cerca de 192,4 milhões de euros).

“O primeiro trimestre demonstrou mais uma vez a força do nosso modelo de negócios. Atingimos receitas recordes”, disse o presidente-executivo da Azul, John Rodgerson, citado na nota, e que reafirmou a continuidade do “plano de reestruturação” da empresa.

A dívida bruta da Azul entre janeiro e março situou-se em 21,6 mil milhões de reais (cerca de 4 mil milhões de euros), montante 0,9% inferior ao registado no trimestre anterior e 7,7% superior à dívida dos primeiros três meses de 2022.

Em 2022, a Azul registou perdas de 1, 8 mil milhões de reais (cerca de cerca de 336 milhões de euros no câmbio atual), valor 71,1% menor que em 2021, graças ao seu faturamento recorde no ano passado devido à recuperação do setor aéreo após a pandemia.

Após a abertura da Bolsa de Valores Brasileira (B3) as ações da Azul caíram mais de 8% devido às perdas do primeiro trimestre do ano.

Assim, as ações da companhia aérea foram cotadas ao preço de 11,79 reais (2,20 euros), o que representa uma queda de 8,32%. Por seu lado, as ações da empresa na bolsa norte-americana de Wall Street também caíram cerca de 8,3%, para 7,13 dólares (6,55 euros).

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados