24 Abril, 2024

Festival Super Bock Super Rock de regresso ao Meco

©Facebook\SBSR

A música vai voltar à Herdade do Cabeço da Flauta, perto do Meco, com o Festival SBSR de 13 a 15 de julho depois de anos de interregno, num regresso esperado pela autarquia de Sesimbra.

“O importante é ‘assentar os arrais’ [expressão de Sesimbra] no Meco para sempre. A nossa intenção é que se fixe aqui, o que para nós tem uma importância extrema”, disse o presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Francisco Jesus, em conferência de imprensa para apresentação do evento.

Francisco Jesus considerou que há um impacto direto para a economia local, mas também numa outra perspetiva, não mensurável, de dar visibilidade a Sesimbra e em particular à zona do Meco, através da sua associação ao festival.

O mote “o Meco é para sempre”, usado pela organização na apresentação da 27.ª edição do festival, é acolhido com visível satisfação pelo autarca.

O festival começa com uma festa de boas-vindas no dia 12 de julho com a abertura do parque de campismo com os DJ ‘sets’ de Capitão Fausto e da Rádio SBSR.FM, com Lara Soft e Manuela Paraíso.

Espalhado por quatro palcos — Super Bock, Pull&Bear, Somersby e LG by Rádio SBSR.fm -, o cartaz da 27.ª edição, segundo a organização, foi desenhado para aliar nomes consagrados como The Offspring, Franz Ferdinand, The 1975, Wu-Tang Clan, DJ Premier, Father John Misty, Róisín Murphy, James Murphy, ou Nile Rodgers & Chic às sonoridades de Kaytranada, 070 Shake, PinkPantheress, Caroline Polachek, L’Impératrice, Parov Stelar ou Kaleo.

Pelos palcos vão ainda passar os ritmos de Charlotte de Witte, Rósín Murphy, BLOND:ISH ou 2ManyDJS, assim como de Benny Sings, Black Country, New Road, Sampa The Great, Biig Piig e Ezra Collective.

Relativamente à música nacional, o cartaz inclui The Legendary Tigerman, Tomás Wallenstein, Sam The Kid com Orquestra e Orelha Negra, BIIA, Noiserv, Tara Perdida, Glockenwise, Amaura, Holly Hood, Nuno Lopes, Chico da Tina, Irma, Moullinex ? GPU Panic e Surma.

Ainda segundo a organização, em cooperação com as autoridades competentes, a Herdade do Cabeço da Flauta está a reforçar a segurança, a comodidade, com mais bocas de incêndio, e mais meios no terreno.

A organização assegura autocarros gratuitos para a Praia do Meco nos dias 13, 14 e 15 de julho, de modo a reduzir a circulação de carros nos acessos ao festival sendo também aconselhado o uso do comboio da ponte como meio energeticamente mais eficiente e sustentável

Em parceria com a Fertagus, Carris Metropolitana e a Câmara Municipal de Sesimbra, o acesso ao festival será assegurado pela travessia nos comboios da Fertagus desde Lisboa até à estação de Coina e por autocarros.

Para as noites de 13, 14 e 15 estará ainda circular um comboio especial, com saída de Coina às 03:30.

O percurso entre a estação de Coina até ao festival será assegurado por autocarros da Carris Metropolitana.

No ano passado, o SBSR deveria ter acontecido na Herdade do Cabeço da Flauta, uma zona arborizada, entre a lagoa de Albufeira e a praia do Meco, no concelho de Sesimbra, mas, a dois dias do início, a promotora transferiu o festival para Lisboa por causa da declaração de estado de contingência no país face ao risco elevado de incêndio.

Seria o regresso do festival ao Meco, após dois anos de pausa forçada pela pandemia da covid-19, mas esse regresso só se fará agora.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados