23 Junho, 2024

Santa Maria preparado para receber Papa e a aguardar vistoria do Vaticano

© CM-Odivelas

O Hospital Santa Maria (Lisboa) tem o plano estabelecido para receber o Papa Francisco caso ocorra um problema de saúde durante a Jornada Mundial da Juventude, faltando apenas a visita da segurança do Vaticano para validar o processo.

Em entrevista à agência Lusa, o enfermeiro-chefe do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN), José Alexandre Abrantes, adiantou que foi pedido ao Hospital Santa Maria um plano para o Papa Francisco, que visita Portugal de 02 a 06 de agosto para presidir à Jornada Mundial da Juventude (JMJ), onde são esperados 1,5 milhões de peregrinos.

Tal como nas anteriores visitas papais, o Centro Hospitalar Lisboa Norte (Santa Maria e Pulido Valente) tem preparada uma resposta à eventual necessidade de acudir ao Papa Francisco, bem como à sua comitiva.

Os protocolos de segurança implicam algumas medidas, nomeadamente “circuitos reservados, que são avaliados, não só pela segurança portuguesa e pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mas também pela segurança do próprio país” de origem do visitante, neste caso o chefe da Igreja Católica.

“O plano foi estabelecido e o circuito está estabelecido, tudo combinado com o INEM”, adiantou o responsável, realçando que falta apenas uma visita da segurança do Vaticano, que é “o último passo”, na qual será avaliado o que hospital tem planeado e eventualmente sugerida alguma medida de correção que entendam necessário.

Questionado pela Lusa se este é o centro hospitalar que irá socorrer o líder da igreja católica, José Alexandre Abrantes limitou-se a dizer que isso só será conhecido “se, infelizmente, acontecer alguma coisa ao Papa” e este for levado para esta unidade de saúde na capital, que acolhe a jornada.

Pormenores como a cor do quarto destinado ao Papa ou a zona do edifício onde ficará instalado, estão guardados a sete chaves: “Se alguém, por exemplo, dissesse alguma coisa que não devia, Santa Maria saía de cena”, comentou.

O que pode ser divulgado é que o hospital tem três circuitos delineados para a JMJ.

Um circuito normal para a urgência normal, um circuito VIP porque juntamente com o Papa vem outros bispos, cardeais e eventualmente para jovens, poderá haver algum com relações familiares a um chefe de Estado, e um circuito “via VIP” para o sumo pontífice que definirá para onde será levado e acompanhado consoante a situação clínica.

Há também uma equipa do INEM que vai estar em permanência com o Papa, “desde que chega a Portugal até que sai”, que vai estar em articulação direta com o Hospital Santa Maria, tal como a segurança do líder religioso.

José Alexandre Abrantes salientou que é importante a população entender que “não é por ter uma entidade em Portugal” que vão deixar de tratar as outras pessoas: “Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Mesmo os meios que estão dedicados [à JMJ] são extra”, declarou.

Apelou ainda aos utentes para recorrerem às urgências hospitalares apenas em caso de necessidade, mas ressalvou que não é por causa da presença do Papa Francisco, mas por ser o procedimento correto.

O Papa, primeiro a inscrever-se na JMJ, chega a Lisboa no dia 02 de agosto e permanecerá até dia 6. No dia 5 tem prevista uma visita de duas horas ao Santuário de Fátima para rezar pela paz e pelo fim da guerra na Ucrânia.

As principais cerimónias da jornada decorrem no Parque Tejo, a norte do Parque das Nações, na margem ribeirinha do Tejo, em terrenos dos concelhos de Lisboa e Loures, e no Parque Eduardo VII, no centro da capital.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados