20 Abril, 2024

Ventura nega responsabilidade do CHEGA em eleição falhada

O presidente do CHEGA afirmou hoje ter dado indicação à sua bancada para votar a favor de Aguiar-Branco para presidente da Assembleia da República, rejeitando qualquer responsabilidade na eleição falhada.

© Folha Nacional

“Eu só dei uma indicação, para se votar e viabilizar este nome”, disse André Ventura.

O líder do CHEGA falava aos jornalistas no parlamento, após o deputado José Pedro Aguiar-Branco ter falhado a eleição para presidente da Assembleia da República.

Ventura escusou-se a aceitar que a sua bancada tenha votado contra o nome indicado pelo PSD, ressalvando que o voto é secreto, mas reconheceu não ter inquirido os seus deputados sobre o seu sentido de voto.

André Ventura salientou, no entanto, que “dirigentes e responsáveis” da Aliança Democrática (AD) “apressaram-se falsamente a desmentir”, durante esta manhã, o acordo por si anunciado na segunda-feira com vista à eleição de Aguiar-Branco e de um vice-presidente da mesa do parlamento do CHEGA.

Ventura apontou especificamente o caso do líder do CDS-PP, Nuno Melo, a “dizer que não houve nenhum acordo com o CHEGA, que não precisavam desse acordo e que o Chega era, portanto, dispensável”.

“Ouvi hoje as declarações de Nuno Melo, penso que passaram em vários sítios, inclusivamente nas várias televisões”, afirmou, quando instado a especificar onde e quando foram proferidas.

André Ventura disse esperar que “haja um repensar da estratégia” por parte do PSD e indicou que o CHEGA “está aberto a esse entendimento”.

“Se assim for, cá estaremos, se nos quiserem simplesmente humilhar e espezinhar não estaremos disponíveis”, indicou.

Questionado se o CHEGA poderá viabilizar o nome proposto pelo PSD numa nova votação, o líder disse que “se ontem tinha havido um entendimento, hoje pode haver também, basta haver boa vontade do PSD”.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados