22 Julho, 2024

CHEGA antecipa cenário de “tensão institucional” entre Costa e Marcelo

©CHEGA

O presidente do CHEGA, André Ventura, antecipou hoje um cenário de “tensão institucional” entre o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, ao longo dos próximos anos.

Acho que já ficou evidente que Marcelo Rebelo de Sousa já descolou do Governo de António Costa. Nós nunca tínhamos ouvido, em sete anos de mandato, o que Marcelo Rebelo de Sousa disse sobre a lei da habitação”, afirmou André Ventura.

“Eu diria, correndo sempre o risco de me enganar, que a relação entre o Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa entrou num ponto sem retorno”, defendeu.
Em declarações aos jornalistas numa visita à Feira Regional da Cana de Açúcar, no concelho madeirense da Ponta do Sol, o líder do CHEGA considerou que “Marcelo já não confia no Governo” e o “Governo já não confia em Marcelo”.

“E isto significa que, com toda a probabilidade vamos ter uma espécie de conflito institucional, ou pelo menos de tensão institucional, ao longo dos próximos anos”, declarou.

Referindo que não acredita que o Governo liderado por António Costa chegue até ao fim da legislatura, André Ventura defendeu que “é importante que o Presidente [da República] se mantenha afastado do Governo porque pode ser chamado a decidir e a tomar decisões muito em breve”.

“Mas eu diria que os próximos dois anos serão, se não de conflito, de tensão institucional, não por culpa de Marcelo Rebelo de Sousa, mas por culpa do Governo que não estava habituado a ouvir críticas e agora quando as ouve imediatamente lança os seus cães de fila todos para atacar quem o ataca, seja o CHEGA, seja o Presidente da República ou qualquer outro líder partidário”, reforçou.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Receba o Folha Nacional no seu e-mail

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados