25 Julho, 2024

Cimeira Luso-Brasileira termina sem direito a perguntas

Portugal.GOV

A 13.ª Cimeira Luso-Brasileira terminou sem direito a perguntas dos jornalistas, após declarações do primeiro-ministro português, António Costa, e do Presidente do Brasil, Lula da Silva, ao contrário do que estava previsto.

O previsto era que a comunicação social brasileira faria uma pergunta e a portuguesa outra aos chefes de Governo do Brasil e de Portugal, mas após terminar a sua intervenção Lula da Silva abraçou António Costa e depois virou-se para ele e perguntou: “Vamos?”.

Em seguida, os dois saíram do palco, enquanto alguns jornalistas pediam que houvesse perguntas, e deixaram a sala do Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Questionadas pela agência Lusa, as assessorias de imprensa dos dois governos mostraram-se surpreendidas com o modo como terminou a cimeira, sem perguntas dos jornalistas.

Do lado brasileiro foi avançada como possível explicação “o adiantado da hora”. As declarações de Lula da Silva e António Costa perante a comunicação social começaram pelas 18:45, com mais de duas horas de atraso em relação ao programa, e terminaram cerca das 19:10.

O Presidente do Brasil, Lula da Silva, chegou a Lisboa na sexta-feira para uma visita de Estado a Portugal, cujo programa oficial começou hoje e termina na terça-feira de manhã.

A 13.ª Cimeira Luso-Brasileira aconteceu seis anos e meio depois do último encontro bilateral entre governos, que se realizou em Brasília, em novembro de 2016, com a participação de António Costa e do então Presidente do Brasil Michel Temer.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Receba o Folha Nacional no seu e-mail

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados