23 Junho, 2024

Temperatura do ar atinge máximo histórico de 39.1ᵒ C na ilha da Madeira

© D.R.

A temperatura máxima do ar na ilha da Madeira atingiu 39.1ᵒ Celsius na terça-feira, 27 de junho, o valor absoluto mais alto desde que há registos no arquipélago, indicou hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

“Como consequência do tempo excecionalmente quente que está afetar a Madeira, desde o dia 26 de junho [segunda-feira], foram atingidos valores extremos de temperatura máxima do ar à superfície, tendo sido batidos alguns recordes, quer em relação ao mês de junho, quer em relação ao ano (extremo absoluto)”, refere o IPMA em comunicado.

Assim, na terça-feira, foi registado um novo valor absoluto de 39.1ᵒ C na estação meteorológica da Quinta Grande, na zona oeste da ilha, ultrapassando o anterior valor de 39.0ᵒ C, registado na estação meteorológica do Sanatório do Monte em 10 de agosto de 1976, uma estação clássica desativada em 1988.

“A temperatura máxima absoluta para a Madeira passa, agora, a ser de 39.1ᵒ C”, refere o IPMA.

Na terça-feira, foi registado também um novo extremo de temperatura máxima para o mês de junho na estação meteorológica do Aeroporto do Porto Santo – 31.3ᵒ C –, sendo que o valor anterior – 30.5ᵒ C – data de 14 de junho de 1983.

Em Santana, na costa norte da ilha da Madeira, foi registado igualmente um novo extremo de temperatura máxima para o mês de junho – 32.8ᵒ C –, datando o anterior recorde de 14 de junho de 1983.

Na estação do Observatório Meteorológico, no Funchal, o valor de temperatura máxima de 38.7ᵒ C, registado no dia 27 de junho, ultrapassou também o valor extremo de 38.5 ᵒC, verificado em 10 de agosto de 1976, constituindo um novo máximo absoluto.

“Importa ainda referir que esta situação de tempo excecionalmente quente resulta na ação conjunta de um anticiclone a nordeste do arquipélago dos Açores, que se estende em crista até ao Golfo da Biscaia, e de um vale depressionário entre o norte de África e a Península Ibérica”, esclarece o IPMA.

O comunicado adianta que esta configuração dos grandes centros de ação está na origem do transporte de massa de ar quente e seco até ao arquipélago da Madeira, sendo que a subsidência do ar, o vento local e a fisiografia das ilhas da Madeira e de Porto Santo conduzem a valores de temperatura do ar significativamente diferentes entre locais.

Por exemplo, a temperatura máxima no Caniçal, na extremidade leste da Madeira, não ultrapassou os 25.9ᵒ C e no Pico do Areeiro, nas montanhas sobranceiras ao Funchal, ficou-se pelos 24.4ᵒ C.

Na terça-feira, o IPMA colocou a costa sul da Madeira sob aviso vermelho devido ao tempo quente, ao passo que a costa norte, as regiões montanhosas e a ilha do Porto Santo estiveram sob aviso laranja.

Hoje está em vigor um aviso amarelo no arquipélago, com exceção das terras altas, que se encontram sem alertas.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados