15 Junho, 2024

Inteligência artificial da Google chega hoje a Portugal

© D.R.

O Bard, sistema de inteligência artificial (IA) generativa da Google e concorrente do ChatGPT, está a partir de hoje disponível em Portugal, anunciou a tecnológica.

“Hoje, estamos a anunciar a maior expansão de Bard realizada até hoje”, afirma a Google Portugal no seu blogue.

O Bard “está agora disponível na maior parte do mundo e nos idiomas mais falados e estamos a lançar novas funcionalidades para ajudar o utilizador a personalizar melhor a sua experiência, a aumentar a sua criatividade e a realizar mais tarefas”, adianta a tecnológica.

O Bard, refere, “procura combinar a amplitude do conhecimento mundial com o poder, a inteligência e a criatividade dos nossos grandes modelos de linguagem” e “baseia-se em informações da ‘web’ para proporcionar respostas novas e de alta qualidade”.

O concorrente do ChatGPT “é uma experiência inicial que permite colaborar com inteligência artificial generativa” e “pode ser uma saída para a criatividade e uma plataforma para despertar a curiosidade”, salienta a Google Portugal.

“A partir de hoje, o utilizador pode colaborar com o Bard em mais de 40 idiomas, incluindo português, árabe, chinês, alemão, hindi e espanhol” e “também é agora possível aceder ao Bard em mais locais, incluindo no Brasil e na Europa”, adianta a tecnológica.

“Como parte da nossa abordagem ousada e responsável em relação à IA, envolvemo-nos proativamente com especialistas, decisores políticos e reguladores – incluindo autoridades de proteção de dados – para compreender as suas questões e ouvir a sua opinião”, prossegue, referindo que foram dados “vários passos para ajudar “a lidar com a sua informação de forma responsável”.

Assim, quando alguém interage com o Bard, “a Google recolhe dados como as suas interações com o sistema, a localização, ‘feedback’ e informação de utilização para nos ajudar a disponibilizar, melhorar e desenvolver os nossos produtos, serviços e tecnologias de ‘machine learning'”, explica.

A Google adianta que “está explicado na política de privacidade da Google” e que foi lançado o novo ‘hub’ de privacidade do Bard para tornar mais simples rever explicações simples dos controlos de privacidade disponíveis, num único local.

“Enquanto tecnologia experimental, o Bard poderá ocasionalmente fazer declarações imprecisas em resposta a comandos do utilizador”, pelo que, caso haja uma “resposta imprecisa ou que considere insegura, registe algum problema ou queira apenas deixar uma opinião há uma forma simples para o fazer”.

A tecnológica refere que o utilizador poderá “também escolher durante quanto tempo o Bard irá guardar a informação na sua conta Google”.

Por defeito, a Google guarda a sua atividade com o Bard na sua Conta Google durante 18 meses, “mas o utilizador, caso o pretenda, poderá alterar esta definição para entre três e 36 meses”.

Além disso “o utilizador poderá também desligar isto completamente e poderá apagar facilmente a sua atividade com o Bard em http://g.co/bard/myactivity”.

A Google refere que permite “ao utilizador o pedido para remover conteúdo ao abrigo” das suas “políticas ou da legislação aplicável e exportar a sua informação”, detalhes que podem ser encontrados no ‘hub’ de privacidade.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados