19 Junho, 2024

Falta de médicos fecha de novo urgências Ginecológica/Obstétrica e Pediátrica de Leiria

A Urgência Ginecológica/Obstétrica do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) está fechada até segunda-feira e a Urgência Pediátrica vai fechar 24 horas a partir de domingo devido à falta de médicos, divulgou aquela unidade de saúde.

© D.R.

“Informa-se que a Urgência Ginecológica/Obstétrica encontra-se encerrada entre as 09:00 de quinta-feira, dia 09 de novembro, até às 09:00 de segunda-feira, dia 13 de novembro, devido à falta de recursos humanos médicos”, anunciou o CHL numa publicação na rede social Facebook.

Às grávidas ou utentes com problemas urgentes do foro ginecológico, o CHL recomendou que contactem a Linha SNS 24 (808242424), que “poderá dar todo o apoio especializado e encaminhamento para a unidade de saúde mais apropriada”.

“Em situações urgentes, as utentes poderão dirigir-se à Maternidade Dr. Bissaya Barreto ou à Maternidade Dr. Daniel de Matos”, ambas sediadas em Coimbra, explicou o CHL.

Segundo o CHL, apesar dos constrangimentos anunciados e da necessidade de adaptar a sua capacidade de resposta na Urgência de Ginecologia/Obstetrícia e Bloco de Partos entre hoje e as 09:00 de segunda-feira, “continua a estar garantida toda a atividade assistencial e programada, pelo que o acompanhamento e os cuidados prestados às grávidas e utentes na área da Ginecologia, no âmbito da consulta externa, não serão afetados por esta contingência, estando assegurada a capacidade de resposta nestas áreas”.

“Os constrangimentos em causa afetarão unicamente o funcionamento da Urgência de Ginecologia/Obstetrícia e do Bloco de Partos”, esclareceu o CHL.

Ainda na mesma rede social, o CHL anunciou que a Urgência Pediátrica “encontra-se encerrada entre as 09:00 de domingo, dia 12 de novembro, até às 09:00 de segunda-feira, dia 13 de novembro, devido à falta de recursos humanos médicos”.

O CHL aconselha o contacto com a Linha SNS 24, sendo que, em situações urgentes, as pessoas podem dirigir-se ao Hospital Pediátrico de Coimbra.

O encerramento destes dois serviços de urgência já tinha ocorrido este mês: entre os dias 02 e 06 no caso da Urgência Ginecológica/Obstétrica e entre os dias 05 e 06 na Urgência Pediátrica. Em ambas as situações, a justificação do CHL foi a falta de médicos.

Mais de 30 hospitais de norte a sul do país estão a enfrentar constrangimentos e encerramentos temporários de serviços devido à dificuldade de as administrações completarem as escalas de médicos.

Em causa está a recusa de mais de 2.500 médicos em fazerem mais do que as 150 horas extraordinárias anuais a que estão obrigados.

Esta crise já levou o diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde, Fernando Araújo, a admitir que novembro poderá ser dramático, caso o Governo e os sindicatos médicos não consigam chegar a um entendimento.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados