20 Fevereiro, 2024

Ventura avisa Montenegro que CHEGA vai ter mais votos que o PSD

O líder do CHEGA, André Ventura, avisou hoje Luís Montenegro que o seu partido terá mais votos do que o PSD nas eleições de 10 de março, independentemente das coligações que os sociais-democratas possam fazer à direita.

© Folha Nacional

“Doutor Luis Montenegro, o senhor pode juntar-se com quem quiser, com o CDS, com a Iniciativa Liberal, com o ADN, com os partidos todos que existirem à direita, no dia 10 de março o CHEGA vai ter mais votos que o PSD”, afirmou André Ventura, nas Caldas da Rainha, durante o encerramento do plenário da Juventude CHEGA.

O recado ao líder social-democrata foi expresso num discurso dirigido aos jovens em que André Ventura vincou a ideia de que o PSD, o CDS e a Iniciativa Liberal “só querem unir-se […] para garantir que o CHEGA não consegue superá-los em termos de resultados”.

Uma postura que, para André Ventura, demonstra que o seu partido “está no bom caminho” e que alcançará o objetivo de superar a votação do PSD nas próximas eleições legislativas.

O CHEGA, acrescentou, não está “a tentar arranjar um número [de votos] maior que o B ou o C”, nem a pretender “garantir mais um deputado em Leiria, em Viana do Castelo”, está “a lutar para ganhar e quando se luta para ganhar, vai-se à luta com tudo”.

“Até pode o PS e o PSD decidirem juntar-se para impedir que o CHEGA governe”, disse André Ventura, defendendo que aqueles partidos “podem atrasar, podem limitar, podem condicionar” mas “é certo como o destino que o CHEGA vai ser governo em Portugal”.

Alertando que “a eleição de 10 de março não é uma eleição qualquer” mas sim “uma batalha pelo Estado de Direito” o líder do CHEGA sustentou perante a juventude partidária que “se o Partido Socialista vencer, novamente, estas eleições, ele vai perseguir, vai condicionar, vai anular, se conseguir vai prender todos aqueles que contribuíram para a sua queda do poder em Portugal”.

Segundo Ventura, se o PS vencer “estará em causa a Independência da justiça” no país onde “o risco sobre a separação de poderes é real, porque eles [Governo socialista] nunca quiseram combater a corrupção”.

“Nós, meus caros, somos a única e a mais importante barreira entre o Partido Socialista e a governação de Portugal”, concluiu, incentivando a juventude do CHEGA a lutar pela vitória do partido nas próximas eleições.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados