15 Junho, 2024

Juro implícito do crédito à habitação volta a subir para 4,524% em novembro

A taxa de juro implícita dos contratos de crédito à habitação voltou a aumentar em novembro, para 4,524%, permanecendo no valor mais elevado desde março de 2009, divulgou hoje o INE.

© D.R.

Em outubro, a taxa de juro implícita dos contratos de crédito à habitação tinha sido de 4,433%.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), já nos contratos celebrados nos últimos três meses a taxa de juro desceu pela primeira vez nos últimos 20 meses, ao passar de 4,380% em outubro para 4,366% em novembro.

Em novembro, a prestação média fixou-se em 396 euros, o máximo desde o início da série (janeiro de 2009), mais 4,0 euros do que em outubro e mais 108 euros que em novembro de 2022. A parte relativa a juros representou 61% da prestação média, proporção que era de 29% há um ano, em novembro de 2022.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação subiu 11 euros face a outubro para 655 euros, um aumento de 29,2% em relação a novembro de 2022.

O capital médio em dívida para a totalidade dos créditos à habitação aumentou 252 euros em novembro para 64.438 euros.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados