22 Abril, 2024

Polónia quer mudança de medidas sobre importação de cereais ucranianos

© D.R.

O ministro polaco da Agricultura, Robert Telus, disse hoje que as importações de cereais ucranianos “vão ser controladas com muito cuidado”, após Varsóvia ter suspendido momentaneamente a entrada de grão da Ucrânia na Polónia.
Telus disse a um jornal de Varsóvia que a decisão de parar temporariamente a compra de grão procedente da Ucrânia foi acordada com as autoridades de Kiev.
“Ainda não se pretende cortar estas importações, cada novo transporte, a partir de agora, vai ser controlado com muito cuidado”, indicou o ministro da Agricultura polaco.
Pouco depois do início da nova invasão da Ucrânia por parte da Rússia, em 2022, os agricultores polacos queixaram-se de prejuízos, que disseram, foram provocados pela moratória de um ano concedida pela União Europeia sobre a importação de cereais ucranianos: transações livres de impostos.
“Convencer a União Europeia para impor taxas sobre o grão ucraniano é e será uma tarefa muito difícil”, afirmou Telus acrescentando “que Bruxelas fala de sanções contra a Rússia e, por outro lado, finge não saber que muito do grão que chega à Europa vem do sul” e que provavelmente “não é ucraniano” e tem origem na Rússia.
Na mesma entrevista, o ministro polaco considerou muito lenta a atuação da União Europeia sobre o assunto, advertindo que “por má coordenação” os agricultores europeus e “sobretudo os de dois ou três países” estão a “pagar por tudo”.
Na semana passada, o anterior ministro da Agricultura da Polónia, Henryk Kowalcyk, apresentou a demissão após ter defendido a reposição do controlo à importação de grão ucraniano, por parte da União Europeia.
A questão já tinha sido abordada durante a visita do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, à Polónia.
Após tomar posse, o novo ministro da agricultura da Polónia organizou um gabinete de crise tendo-se deslocado à fronteira de Dorohusk (leste) onde se reuniu com o homólogo ucraniano, Mykola Solski.
No encontro, Telus disse que expôs de forma clara a posição sobre o “bloqueio, temporário, à importação de cereais para a Polónia”.
Assim, foi tomada a decisão de “limitar a chegada de cereais da Ucrânia durante algum tempo, inclusivamente bloquear, de momento, a importação”.

As associações de agricultores polacos afirmam que a mercadoria que chega da “Ucrânia não tem a mesma densidade nem a mesma qualidade” exigida pelos produtores locais, reclamando, por isso, taxas de 50% sobre o grão ucraniano.

Segundo as mesmas associações, na Polónia estão armazenadas cerca de 2,5 milhões de toneladas de grão proveniente da Ucrânia.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados