29 Maio, 2023

Empresas portuguesas ganham 5,4 milhões de euros com missão europeia a Júpiter

© D.R.

A missão europeia que vai colocar um satélite na órbita de Júpiter rendeu às empresas portuguesas envolvidas 5,4 milhões de euros em contratos, disse hoje à Lusa o presidente da agência espacial portuguesa Portugal Space, Ricardo Conde.

Ricardo Conde salientou que a missão representa “uma afirmação” da indústria portuguesa que se traduziu num “volume contratual” de 5,4 milhões de euros para as empresas envolvidas.

Segundo o presidente da Portugal Space, trata-se da “missão da década” da Agência Espacial Europeia (ESA) e a “antecâmara de uma participação” mais alargada de Portugal noutras missões.

“As capacidades que foram desenvolvidas para esta missão podem ser replicadas noutras”, frisou.

A ESA envia hoje, da Guiana Francesa, o satélite Juice, que vai estudar Júpiter e três das suas maiores luas com potencialidades de albergarem vida.

A descolagem, a partir da base da ESA em Kourou, onde Portugal estará representado por Ricardo Conde, está prevista para as 13:15 (hora de Lisboa) a bordo de um foguetão europeu Ariane 5.

O satélite inclui componentes fabricados pelas empresas portuguesas Efacec, LusoSpace, Active Space Technologies, Deimos Engenharia e FHP – Frezite High Performance.

Juice (JUpiter ICy moons Explorer, Explorador das Luas Geladas de Júpiter) irá estudar o maior planeta do Sistema Solar e as luas Europa, Ganimedes e Calisto, onde os cientistas pensam que possa existir água líquida (elemento fundamental para a vida tal como se conhece) sob as crostas de gelo à superfície.

O satélite deverá chegar ao gigante gasoso passados oito anos, em julho de 2031, fazer 35 voos de aproximação às luas geladas e alcançar Ganimedes em dezembro de 2034.

Será a primeira vez que um satélite artificial orbitará uma lua de outro planeta.

Espera-se que a missão da ESA, que custou cerca de 1,6 mil milhões de euros e teve a colaboração das agências espaciais norte-americana (NASA), japonesa (JAXA) e israelita (ISA) em termos de instrumentação e ‘hardware’, termine em setembro de 2035.

Os primeiros dados científicos são expectáveis em 2032.

Atualmente, o único satélite artificial em órbita de Júpiter é o Juno, da NASA.

Portugal é Estado-membro da ESA desde 2000.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados