21 Julho, 2024

Bolsa de Lisboa em alta com Galp a liderar os ganhos, a subir quase 1%

©D.R.

A bolsa de Lisboa estava hoje em alta, a manter a tendência da abertura, com as ações da Galp a liderarem os ganhos, a subirem 0,97% para 10,90 euros.

Cerca das 9h20 em Lisboa, o PSI avançava 0,57% para 5.922,76 pontos, com a cotação de 11 ‘papéis’ a subir e de cinco a descer.

Às ações da Galp seguiam-se as da EDP Renováveis e da REN, que subiam 0,78% para 17,34 euros e 0,61% para 2,48 euros.

As ações da Sonae, Jerónimo Martins e BCP eram outras das que mais avançavam, designadamente 0,59% para 0,93 euros, 0,55% para 25,62 euros e 0,54% para 0,22 euros.

No mesmo sentido, as ações da RDP, Greenvolt e Semapa subiam de cotação, 0,51% para 4,38 euros, 0,25% para 5,95 euros e 0,15% para 12,96 euros.

As ações da NOS e da Altri eram as que menos subiam, respetivamente 0,12% para 3,33 euros e 0,05% para 4,20 euros.

Em sentido contrário, as ações dos CTT, Ibersol e Navigator desciam 0,45% para 3,47 euros, 0,30% para 6,74 euros e 0,26% para 3,09 euros.

As outras duas ações que também se desvalorizavam eram as da Mota-Engil e da Corticeira Amorim, que desciam respetivamente 0,23% para 2,21 euros e 0,21% para 9,62 euros.

As principais bolsas europeias estavam hoje em baixa, a manter a tendência da semana passada, entre os receios de que a Reserva Federal dos EUA (Fed) retome em breve a subida das taxas de juro, que interrompeu em junho.

Os receios de que Fed retome em breve a subida das taxas de juro também mantêm a escalada das taxas de juro da dívida: a obrigação americana a 10 anos subiu hoje para 4,067%, enquanto a alemã atingiu 2,644%.

Enquanto aguardam a divulgação do IPC norte-americano esta semana e a apresentação dos resultados das empresas, os investidores estão hoje cautelosos, numa sessão em que não haverá referências económicas relevantes e em que a Europa segue o rasto da Ásia, esta manhã, onde foi anunciado que a inflação na China registou um novo abrandamento, caindo para 0% em junho.

Na sexta-feira, Wall Street fechou em baixa, com o Dow Jones a descer 0,55% para 33.734,88 pontos, contra o máximo desde que foi criado em 1896, de 36.799,65 pontos, registado em 04 de janeiro de 2022.

O Nasdaq terminou a cair 9,13% para 13.660,72 pontos, contra o atual máximo, de 16.057,44 pontos, verificado em 16 de novembro de 2021.

A nível cambial, o euro abriu a descer no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,0954 dólares, contra 1,0967 dólares na sexta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro abriu a descer no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 77,96 dólares, contra 78,47 dólares na sexta-feira e 71,82 em 12 de junho, um mínimo desde janeiro de 2022.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Receba o Folha Nacional no seu e-mail

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados