18 Maio, 2024

SATA Air Açores amortiza 60 milhões de dívida

A SATA Air Açores amortizou 60 milhões de euros de dívida, um reembolso antecipado que permite à companhia aérea açoriana "poupar cerca de 18 milhões de euros em encargos anuais com financiamentos", foi hoje anunciado.

Facebook/SATAAzoresAirlinesOfficial

Numa nota de imprensa, o Grupo SATA indica que a SATA Air Açores-Sociedade Açoriana de Transportes Aéreos, S.A. “executou com sucesso” o reembolso antecipado da totalidade do empréstimo obrigacionista de 60 milhões de euros, emitido em dezembro de 2022.

A companhia aérea responsável pelas ligações dentro do arquipélago vai, assim, poupar cerca de 1,2 milhões de euros em 2023 e “reduzirá os encargos anuais com financiamentos ao longo dos próximos três anos, o que totaliza cerca de 17 milhões de euros de poupança nesse período”.

No seguimento do plano de reestruturação aprovado pela Comissão Europeia em 07 de junho de 2022, e de acordo com as obrigações nele definidas, sem aval do Governo Regional dos Açores, em dezembro de 2022 a empresa necessitou de contratar um financiamento de 60 milhões de euros junto da J.P. Morgan Societas Europaea (J.P.Morgan), através da emissão de 600 obrigações com o valor nominal de 100 mil euros cada, com maturidade a 20 de dezembro de 2026.

“Essa emissão teve como finalidade a amortização antecipada de dívida financeira antiga, processo que ficou concluído no final de 2022, com a liquidação de financiamentos no valor total aproximado de 40,8 milhões de euros”, explica ainda o grupo SATA.

Citada na nota enviada às redações, a CEO (diretora executiva) do grupo, Teresa Gonçalves, sublinha que se trata de “um momento histórico para a SATA e para todos os colaboradores que, diariamente, têm contribuído para a evolução positiva do negócio”.

“É um sinal claro de que estamos a fazer todos os esforços para recuperar a SATA e criar as melhores condições para garantir a sua continuidade de forma sustentada”, diz.

A CEO ressalva que a companhia poderia ter optado por não amortizar já esta dívida, mas tal implicaria continuar “a ter custos financeiros muito significativos com este financiamento, o que, a prazo, seria muito penalizador”.

“E se esta decisão revela o esforço que tem sido feito, é também importante que haja a consciência da responsabilidade e importância que a mesma tem, exigindo de cada um de nós um rigor cada vez maior em tudo aquilo que fazemos na companhia, com o objetivo de continuar a crescer receita com a máxima otimização de custos”, afirma.

Este, acrescenta, é mais um passo “no caminho da consolidação das suas contas e da redução do nível de endividamento”.

As empresas do universo do grupo, a SATA Air Açores e Azores Airlines, registaram um resultado negativo de 30 milhões de euros no primeiro trimestre de 2023.

Segundo o relatório das demonstrações financeiras referentes a esse período, registaram-se 23 milhões de euros negativos na SATA Internacional (responsável pelas ligações de e para o arquipélago) e sete milhões na SATA Air Açores.

O passivo da Azores Airlines cresceu 108,7 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, em relação ao período homólogo.

Na SATA Air Açores, o passivo foi reduzido em 142,2 milhões de euros do primeiro trimestre de 2022 (475.993.071 euros) para o mesmo período de 2023 (333.708.307 euros).

O Grupo SATA encontra-se sob um plano de reestruturação financeira na sequência da submissão de um pedido à Comissão Europeia.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados