22 Fevereiro, 2024

ULS versus rede de hospitais públicos para animais

Começo por fazer uma declaração, não tenho, mas sempre adorei animais, tenho família direta com cães e gatos, também por isso tenho o maior respeito pelas espécies e seus direitos, assim como pelos direitos dos cuidadores sabendo que os animais nomeadamente os de companhia necessitam dos maiores cuidados para o seu bem-estar. Sendo este tema muito caro para mim, também tenho o máximo respeito pela profissão de veterinário, mas também tenho o máximo respeito por todos os profissionais de saúde.

Atualmente, sabemos que o orçamento de estado para 2024 prevê 13 mil milhões de euros para a saúde quase que duplica face as 2015, mas também prevê 2 milhões de euros para a criação de uma rede de hospitais veterinários públicos. Contudo, a questão levanta-me dúvidas, principalmente se olharmos como o Governo é incapaz de gerir o serviço nacional de saúde para humanos.

Todavia, a verba orçamentada para a criação de hospitais públicos para animais, fez-me lembrar aquele diálogo entre o ministro das finanças de então, Oliveira Salazar que disse a Alfredo da Silva proprietário da CUF: «O país está doente, e eu sou como o médico, tenho de o curar». Este replicou: «Médico não, veterinário, que trata o doente sem perguntar o que ele sente». Salazar riu-se do gracejo!”.

Sem dúvida que nunca tinha visto a coisa por este prisma! Mas certamente o Dr. Costa de hoje faz exatamente o que Dr. Salazar também fez e que já Alfredo da Silva se queixava!

Aliás, ao observar a teorização do New Public Management ou o New Public Service, continua a discutir-se quem está no centro do serviço, nomeadamente nas diferenças entre o sistema público e o privado e na relação entre o prestador do serviço e o seu utilizador como deve ser considerado, se doente ou utente, se cliente ou apenas contribuinte! 

Desta forma, com a vontade de desenvolver um SNS para animais, o governo do PS abre uma clara oportunidade de criar uma relação na forma como integrar o SNS (Serviço Nacional de Saúde) para Humanos e Animais, para finalmente optar por um novo e verdadeiro (SNS) Sistema Nacional de Saúde agregando ambos.

Até porque ideologicamente a esquerda e o PS sempre foram contra agregar o privado ao público preenchendo as graves falhas e lacunas do SNS, mas assim desta maneira acaba-se o problema de difícil resolução sobre se somos doentes ou clientes, utentes ou contribuintes, não tendo de se preocupar como resolver a relação entre o prestador e o seu utilizador, tudo será mais fácil quando passarmos todos a ser tratados como “animais” não importando se racionais ou irracionais!

Mais do que caricato neste circo orçamental, sabe-se que a execução do investimento que estava previsto no Orçamento do Estado da saúde em 2022 rondou apenas os 50%, portanto prevê-se que num futuro breve, também com a rede de hospitais públicos para os animais, mesmo ladrando os animais passem a queixar-se e a marcar terreno tal como os humanos em Portugal.

Quem sabe se a dor não será tanta que começarão a ser transferidos da rede pública de hospitais para animais para a rede de assistência humana! Ou quando houver necessidade de vagas para os doentes humanos mais facilmente serão transferidos para a rede publica de hospitais para animais! Continuando assim a recusar ideologicamente parcerias público-privadas!

Sim, porque além do Sr. Dr. Costa e todos os outros, mais recentemente a Sra. Dra. Marta Temido (2018-22) e agora o Sr. Dr. Manuel Pizarro, que além de mim também eles só vêm vantagens nesta aplicação de 2 milhões de Euros numa rede de hospitais públicos onde pelo menos os animais não fazem manifestações, não vão para as televisões e não reclamam! 

Adicionalmente, relembro que praticamente todos os hospitais assinaram contratos de programa em 2023 prevendo resultados negativos, ou seja, uma previsão de perdas assumidas pelo Estado, baseando, portanto, a boa gestão na acumulação de dívida e mais dívida!

Mas penso que no íntimo o Sr. Dr. Costa, também ele cuidador de animais de estimação, já tem dúvidas de que apenas com mais dinheiro se resolvem os problemas, não, não resolve! Porque é muito ISTO que tem acontecido, não é?  

Por conseguinte, esta estratégia ajuda num futuro breve, onde todos estaremos e passaremos alegadamente a estar como “animais” integrados num novo sistema onde os utentes/clientes/doentes/contribuintes e animais conviverão em comunhão a saúde, ou a falta dela!

Porém, “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.” Quem proferiu esta frase, se olhasse para o Sr. Dr. Costa (uma espécie de médico e veterinário) diria que atualmente que o Sr. Dr. Salazar como médico/veterinário que era professor da universidade de Coimbra foi um ditadorzinho ao pé do Sr. Dr. Costa (1.º ministro).

Pasme-se! nunca houve tanto dinheiro para a saúde no orçamento de Estado e mesmo assim nunca terá havido tanta insatisfação. O problema não é dinheiro e não parece ser, então o problema tem de estar nas políticas e na ideologia.  

Agora entendi melhor a ideia das Unidades locais de Saúde! Finalmente vi mais lógica nas ULS ao perceber que o Governo trata os profissionais de saúde como veterinários pois as reformas estão a ser feitas sem lhes perguntar o que os diversos parceiros e intervinientes sentem ou pensam!

Dai ao passo das Unidade Local de Saúde foi um aí! E para que da junção dos sistemas entre os cuidados de saúde primário e secundário passando a existir apenas um centro de custo, onde o risco de cada doente vai definir o valor de budget em cada região na gestão individual seja agregado ao risco e budget por animal, vai ser outro aí!

Creio que o SNS não tem solução se continuar basicamente a ser tratado como uma estrutura monolítica gerida de alto para baixo, portanto com comando e controle tal como o veterinário, sem perguntar nada! 

Mas no fim de tudo, se não compreendemos que apesar de não falarem, os animais são seres vivos como nós e que têm sentimentos e que a atenção e os cuidados de saúde que o Estado oferecer aos animais irá definir o estado de saúde e o bem-estar e psicológico que vão ter. Humm! Ão-ão… miau-miau!

Por isso animais, vejam nos humanos o exemplo do que nos está a acontecer, não se deixem enganar com promessas de hospitais para vós, porque nós, há muito que esperamos por hospitais, médicos, enfermeiros, técnicos, auxiliares, materiais e equipamentos de qualidade, agilidade, rapidez, eficiência, liderança e simpatia como na Disney!  Não queiram mais do mesmo!

Bom, bom mesmo, era depois de implementada a rede de hospitais públicos para animais estes pudessem votar para compensar a abstenção!

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados