20 Abril, 2024

Airbnb proíbe câmaras de vigilância dentro dos alojamentos

A Airbnb determinou a proibição de câmaras de vigilância dentro dos alojamentos alugados através da sua plataforma, com o objetivo de proteger a privacidade dos seus clientes.

© D.R.

A plataforma de alojamento local permitia câmaras de vigilância em áreas comuns, como corredores ou sala de estar, se estivessem claramente visíveis no anúncio.

No entanto, alguns clientes queixaram-se nas redes sociais por terem encontrado câmaras de vigilância escondidas nas suas casas e alguns em locais onde a privacidade deveria ser respeitada.

“Esta atualização faz parte dos esforços da plataforma para simplificar a sua política relativa a câmaras de segurança e outros dispositivos, e assim proteger a privacidade da comunidade de anfitriões e viajantes”, destacou esta segunda-feira a empresa com sede em São Francisco, no Estado norte-americana da Califórnia, através do seu ‘site’.

Esta nova política, bem como o reforço das regras sobre câmaras de vigilância exteriores, entrará em vigor em 30 de abril, segundo a empresa.

“O nosso objetivo com estas novas regras é proporcionar à comunidade maior clareza sobre o que pode esperar do Airbnb”, realçou Juniper Downs, responsável pelas regas de comunidade e parcerias, citada na publicação.

Câmaras em campainhas e dispositivos de medição de decibéis ainda serão permitidas pelo Airbnb para proteger os alojamentos, segundo a empresa.

Relativamente às câmaras exteriores, será obrigatório anunciar a sua presença e localização antes de qualquer confirmação de reserva e não serão permitidas em determinadas áreas, como duches exteriores fechados ou saunas, acrescentou a plataforma.

 

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados