19 Abril, 2024

Procuradoria-Geral alemã investiga escutas russas sobre mísseis Taurus

A Procuradoria-Geral da Alemanha abriu hoje uma investigação às escutas russas de uma conversa entre altos responsáveis militares sobre o possível envio para a Ucrânia de mísseis de longo alcance Taurus.

© D.R

A Procuradoria-Geral da Alemanha abriu hoje uma investigação às escutas russas de uma conversa entre altos responsáveis militares sobre o possível envio para a Ucrânia de mísseis de longo alcance Taurus.

O procurador-geral federal, Jens Rommel, dirige a sua investigação contra desconhecidos, embora se parta do facto de que foram os serviços secretos russos que gravaram a reunião, noticiou hoje a revista semanal Der Spiegel.

Existe a “suspeita de uma atividade de serviços secretos”, sustenta a Procuradoria.

No início de março, os canais de propaganda russos divulgaram na Internet uma gravação de 38 minutos de uma reunião confidencial entre altos responsáveis militares da Força Aérea alemã.

Na reunião, o chefe do Estado-Maior da Força Aérea, Ingo Gerhartz, abordou a possibilidade de fornecer mísseis Taurus à Ucrânia com outro general e dois especialistas.

Analisaram se a Força Aérea alemã poderia apoiar tecnicamente o fornecimento desse sistema de alta tecnologia e, em caso afirmativo, de que forma.

Também falaram da possível destruição da ponte de Kerch, que une a península ucraniana da Crimeia, anexada por Moscovo em 2014, à Rússia continental.

As Forças Armadas da Alemanha creem que a conversa foi intercetada pelos serviços secretos russos devido a um erro técnico de um dos participantes.

A 19 de fevereiro, o general de brigada Frank Gräfe ligou-se à reunião virtual através de uma linha não encriptada com o seu telefone de trabalho, a partir de um hotel em Singapura.

Dado que nessa altura decorria em Singapura uma conferência militar internacional, os investigadores do Serviço de Contrainformações Militares da Alemanha suspeitam de que os serviços secretos russos estavam deliberadamente a tentar intercetar as comunicações dos altos comandos militares de todo o mundo ali presentes.

Uma das hipóteses aventadas por Berlim é ter sido instalado perto do seu hotel um dispositivo para intercetar as suas comunicações e as de outros generais.

Segundo o ministro da Defesa alemão, Boris Pistorius, houve também um segundo participante na reunião que se ligou através de uma linha não-segura.

O envolvimento da Procuradoria-Geral Federal significa que a Alemanha poderá pedir a Singapura ajuda para investigar as escutas.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados