17 Abril, 2024

Eleições legislativas 2024, as razões da Victória do CHEGA nos Círculos da emigração!

As eleições do 10 de março de 2024, criou um facto histórico, que fez com que em 50 anos do regime democrático, desde o 25 de abril de 1974, pela primeira vez um partido político, acabou com o bipartidarismo em Portugal. O partido CHEGA, passou de 12 a 50 deputados, em menos de 5 anos.

Entre dos eleitos, estão os dois eleitos dos círculos da emigração, da Europa e do resto do Mundo.

Os comentadores do regime, vieram a público, a explicar as razões, explicando um “voto de protesto” outros dizem mesmo, que os eleitores “não sabem o que fazem”!

Pois eu, sendo um antigo emigrante na Suíça, durante 36 anos, tenho uma leitura diferente, que passa nomeadamente sobre as razões, e que começa pelo abandono da emigração pelos diferentes governos, que fazem com que os emigrantes tenham a ideia que são portugueses de segunda!

A emigração na Suíça é mais evidente, porque os emigrantes na Suíça são os que mais contribuem para a economia nacional, em rendimento ‘per capita’, são os que mais remessas enviam para Portugal, e por isso têm um contributo impressionante na área turística e no imobiliário em Portugal.

Na Suíça o CHEGA é visto como um partido “normal” de direita, e que entre outras propostas fracturantes, a condenação à prisão perpétua ou a castração química, que já fazem parte integrante do ordenamento jurídico suíço, sem terem um rótulo de “medidas fascistas”!

O voto no CHEGA, foi um voto de mudança, e não um voto de protesto.
Estes portugueses estão sem resposta para os seus problemas, ignorados nos centros de saúde, nas finanças, em tantos serviços públicos, nas câmaras municipais, nos consulados portugueses no estrangeiro, em que devem fazer centenas de quilómetros, muitas vezes em filas desde as 5h da manhã, para obterem um certificado, um atestado ou um documento oficial português.

Desde 2011, o ensino português, ensinado na Suíça, foi abolido por razões orçamentais, criando um vazio cultural e linguístico enorme nos luso-descendentes.

Os emigrantes na Suíça, não têm medo do programa do CHEGA e sabem que André Ventura tem razão, porque nas sociedades em que habitam, trabalham e vivem, as medidas preconizadas pelo CHEGA funcionam e criam riqueza.

Por isso, sim, os votos dos emigrantes, foram votos esclarecidos e responsáveis e não uma qualquer forma de protesto.

E estou convencido, que sem os votos nulos, (mais de 35%), os resultados nos círculos da emigração seriam ainda maiores para o CHEGA.

Queria ainda agradecer especialmente ao José Dias Fernandes, deputado eleito pelo círculo da Europa, pela excelente campanha eleitoral nas comunidades da emigração.

Mas sejamos honestos, sem a notoriedade e empenho do líder do CHEGA, Dr. André Ventura, nada seria possível. 

Agora, vamos em frente, porque o trabalho ainda não acabou, e o próximo combate serão as eleições para o parlamento europeu já no dia 9 de junho 2024.

Viva o Chega, Viva André Ventura!

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados