16 Junho, 2024

Trump lança recrutamento de voluntários para mobilizar votos

A equipa de campanha de Donald Trump, presumível candidato republicano à Casa Branca, lançou esta sexta-feira uma iniciativa de recrutamento de voluntários para mobilizar eleitores em ‘estados-chave’, antes das presidenciais de novembro nos Estados Unidos.

© D.R.

 

O anúncio surge um dia depois de o júri do julgamento criminal contra Trump, em Nova Iorque, ter determinado que o magnata é culpado das 34 acusações que enfrentava, por falsificar registos comerciais para silenciar uma relação que teve com a atriz pornográfica Stormy Daniels.

A iniciativa, chamada ‘Trump Force 47’, procura recrutar, treinar e organizar “dezenas de milhares de voluntários em todo o país”, com o objetivo de mobilizar “eleitores altamente específicos em distritos críticos em estados e distritos decisivos”, destacou a campanha de Trump, em comunicado.

O programa, coordenado em conjunto com o Comité Nacional Republicano, baseia-se na estratégia inicial da campanha de Trump nas primárias estaduais, que se concentrava em atrair alguns eleitores específicos para cada distrito eleitoral.

“Os eleitores de Trump e os republicanos estão mais motivados do que nunca para fazer a sua parte para defender o presidente Trump de Joe Biden e do seu grupo de liberais corruptos”, sublinharam Chris LaCivita e Susie Wiles, gestores de campanha do ex-presidente, citado na nota de imprensa.

A campanha de Trump estima que a condenação no julgamento de Nova Iorque aumentará a sua base de apoio e ajudará a recrutar novos voluntários.

Desde que foi conhecida a condenação nas 34 acusações criminais em Nova Iorque, a campanha de Trump angariou 32 milhões de euros em donativos, tendo o ‘site’ chegado a ir abaixo por causa do volume de acessos.

Em conferência de imprensa, Trump evitou esta sexta-feira referir se irá para a cadeia e como isso afetará a sua campanha presidencial, dedicando-se, em vez disso, a descrever um “país em chamas” por causa do Governo do democrata Joe Biden.

Por sua vez, o atual chefe de Estado sustentou que “ninguém está acima da lei” e considerou “imprudente e perigoso” Trump sugerir que a decisão foi fraudulenta.

Trump, que deverá ser o candidato dos republicanos em novembro contra o democrata e atual Presidente, Joe Biden, negou todas as acusações.

É a primeira vez que um antigo Presidente dos Estados Unidos é considerado culpado por um delito penal.

A sentença será proferida em 11 de julho por um juiz do tribunal de Manhattan, quatro dias antes da convenção do Partido Republicano que deverá apresentar Trump como candidato contra Biden.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados