10 Junho, 2023

Populismo Social Democrata

Tivemos ontem um gravíssimo incidente de assassinato de duas mulheres e tentativa de uma terceira, o  professor, no centro Ismaili em Lisboa. Dito desta forma tão dura, pois os fatos ocorridos assim podem ser descritos.

Mas o debate de André Ventura e Hugo Soares, saldou-se pela postura demagógica e populista do Populismo Social Democrata (PSD), na pessoa do seu representante. Senão vejamos.

Começa por lamentar estas mortes e este caso, como é normal neste tipo de intervenções como se o gravíssimo problema ficasse resolvido e morto logo ali.

Fico sem palavras nestas situações, condenar não chega. Tem de haver responsabilidades e quais são. Responsabilizar quem deixa andar em roda livre este descontrole de quem vem para cá sem qualquer controle. Devemos ajudar, mas também que ajuda vamos dar a estas duas pessoas barbaramente assassinadas? Fazer uma análise exaustiva, sem prevenção? Sem SEF? Não deixa andar até haver mais casos? Onde chegaremos?

Ora as únicas pessoas mortas foram duas mulheres, assassinadas a sangue frio e sem piedade, numa sociedade que começa a sentir que não estava habituada a casos destes, não os quer na nossa sociedade nem está preparada para os aceitar como mais um caso horrível e repugnante, esta não é a sociedade que queremos alimentar ou criar para o futuro.

Afirmou quase de seguida o “Residente” da República que se trata de um caso isolado. Como sabe? O que o leva a afirmar tal coisa? Quem o informou? Que organismo tem informação tão disponível sobre o caso? Portugal ainda não funciona com conhecimento de causa e boas informações, então nesta área sem um organismo que coordene e supervisione entradas sem controlo em Portugal, mais casos teremos brevemente, este senhor não foi aceite na Grécia nem na Alemanha! Porque será ?

O senhor do Populismo Social Democrata, parecia um socialista a falar em populismo e oportunismo de cativar votos com a situação. Vejamos o seu fundamento, ou falta dele. Com esta entrada populista e com base num documento que queria ler e reler, como se lá estivesse a solução que não está, nem é preciso lê-lo, pois sabemos muito bem que deve estar muito bem escrito e  no imaginário dele está perfeito no papel resolve tudo e na prática não resolve nada. Isto sim, e está provado que já nem no papel e nas palavras resolvem, evitam casos futuros ou sequer ajudam na sua prevenção. Pois eles sim, baralham, misturam e fazem um floreado tal que nada funciona na prática nem já na  teoria. Tal como foi e bem rotulado por André Ventura, colando-o ao Populismo Socialista e até nem o diferenciando do Bloco de Esquerda, pois sabe-se muito bem que dali nada sai de concreto, nada será consequente para prever evitar e limitar casos futuros.

Sem a diferenciação de entradas, sem um serviço de controle de entradas no país, seguiremos em roda livre para cada vez mais casos destes. Claro que nem todos os países têm a nossa estabilidade social, embora cada vez mais precária, mas ainda temos alguma, em contraste com outros e são os indicadores mundiais que informam e caracterizam os países e sociedades mais radicais e problemáticas no mundo.

Não são com estas posturas de partido de alternância de governo sem alternativa que este PSD cativar o eleitorado para votar as suas insustentáveis propostas de cordel que nada mais são que folclore para enganar os mais desprevenidos e incautos que se ouvem sem escutar, leem sem perceber, e concluem sem praticar, ficam cegos sem verem as consequências. Já só falta aceitarem estes assassinatos sem os sentirem. Um caso é um caso, será apenas um caso? Um, dois assassinatos são um só ou dois apenas? Ou haverá mais qualquer coisa a seguir. Cá estaremos para ter a mesma postura de cegos surdos e mudos e ainda complacentes com a realidade que nos está a levar a cada vez mais situações a desembocar em caso destes ?

Parabéns ao Centro Ismaili pela decisão de recolha dos agora três órfãos.

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados