19 Junho, 2024

Oito detidos e 1.000 quilos de cocaína apreendida em veleiro que naufragou

©D.R.

Oito pessoas foram detidas, entre elas dois tripulantes de um veleiro detetado a norte dos Açores com 1.000 quilos de cocaína e que acabou por naufragar, anunciou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ explica que os tripulantes da embarcação de recreio intercetada em alto mar, que fazia a travessia do oceano atlântico entre a América do Sul e a Europa, acabaram por ficar em prisão preventiva.

Na nota, a PJ adianta que o veleiro de 14 metros, intercetado pelos fuzileiros do Destacamento de Ações Especiais da Marinha durante a denominada Operação Cristal, acabou por afundar, já depois de os tripulantes e a dropa terem sido transferidos para um navio da Marinha.

A PJ precisa que esta operação de combate ao tráfico de droga foi desencadeada “nos últimos dias” através do Departamento de Investigação Criminal (DIC) de Portimão e da Diretoria do Sul, com o apoio do DIC dos Açores, da Marinha e da Força Aérea.

Além da detenção dos tripulantes do veleiro, foram feitas buscas domiciliárias em diversos lugares do território nacional, tendo sido detidos seis suspeitos.

Foi igualmente apreendida uma embarcação de recreio – iate a motor -, três viaturas, diverso equipamento sofisticado de comunicações, documentação relevante para a investigação, uma “significativa quantidade em numerário”, várias ‘wallets’ de criptomoeda, joalharia e relojoaria “de elevado valor”.

Segundo a PJ, esta intervenção resultou de uma investigação que decorreu nos últimos anos e que visou desmantelar uma organização criminosa de cariz internacional, com atuação transcontinental, dedicada à introdução de grandes quantidades de cocaína no continente europeu e que utilizava Portugal como plataforma.

Face à natureza e relevância da situação, foi criada uma equipa de investigação conjunta, entre a Polícia Judiciária e a Brigada de Investigação do Crime Organizado do Corpo Nacional de Polícia, ao abrigo do Eurojust, no contexto da cooperação judiciária e policial, com as autoridades Reino de Espanha e Europol.

Esta equipa conjunta contou também com a colaboração do Maritime Analisys and Operations Centre – Narcotics (MAOC-N).

Os suspeitos, de diversas nacionalidades, nomeadamente, europeias e sul-americanas, têm antecedentes policiais e judiciais por crimes de tráfico de estupefacientes, branqueamento e associação criminosa.

Os tripulantes do veleiro já foram presentes às autoridades judiciárias em Ponta Delgada e ficaram em prisão preventiva. Os restantes seis detidos ainda vão ser presentes às autoridades competentes no Tribunal de Évora, para aplicação das medidas de coação.

O inquérito é titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados