22 Maio, 2024

Voando sobre um ninho de cucos

Quando é contra eles é sempre de raiva e ódio o discurso pronunciado. Até o pequenino João Torres esse explicadinho que fala sobre tudo e todos, com ar de que lhe devem dinheiro e onde parece, aí sim, existir qualquer coisa por resolver, atreve-se a falar sobre o passado de Cavaco que pouco considera. Onde isto chegou. Melhor fora que o PS chamasse as primeiras figuras que diz ter, mas que pelos vistos não querem nem se atrevem a defender um governo à deriva, antes do mesmo pôr terceiras ou quartas figuras com tiques dos mais ridículos vistos a candidatos a ditadores, dando razão ao povo quando diz do alto da sua sabedoria – “Se queres ver o vilão põem-lhe o pau na mão.” As “baboseiras” ditas atabalhoadamente com muita saliva à mistura são de quem não consegue controlar a língua tornando caricatas e ridicularizando as figuras que, pela postura sabuja, sobressaem das levianas idiotices que proferem.
Continuam a fazer ameaças veladas ou não e do tipo “não nos esqueceremos” tais como outras descaradas roçando até o ordinário e como as inesquecíveis proferidas e repetidas por gente alarve quando ameaçam que “Quem se mete com o PS, leva.”, demonstrando assim como, na realidade, não têm capacidade ou estofo para lidar com quem, não concordando com eles, diz de sua justiça esperando um repto democrata. Não é assim, como sabem! Acossado por todos os lados, até pelo seu mais lúcido interior, corre para a frente, para a asneira que nem sequer é forçada e dá uma má imagem para o país e infelizmente para o exterior, donde nos observam com a apreensão acostumada.
Entretanto o povo sofre cada vez mais enquanto os governantes e os seus servidores anunciam melhoras e progressos à tripa forra que, alvos da propaganda, mais não são do que isso e ferem a alma do povo. Para onde vamos? Que melhorias podemos anunciar sem que um povo sábio desconfie? Quando muda o caminho da vulgaridade inferior para um progresso sempre anunciado mas que nunca chega? É fado ou simples sina? Ou será sempre irresponsabilidade e incompetência? Que fizeram ou fazem por nós há 50 anos?
Mas a culpa é só dos socialistas? Claro que não. Os chamados de sociais democratas, com enormes culpas no cartório “vendem” agora que, com eles no governo, o caminho será outro e diferente. Não é verdade! Será o mesmo, com os mesmos “tiques”, com as mesmas manias e com uma igual maneira de governar. Com os mesmos impostos, a mesma autoridade e com a mesma desfaçatez. Tal como fizeram anteriormente. E é por saber que será assim que as sondagens não saem do “para pior já basta assim”, tal como o povo pensa.
Acho que todos nos devemos sacrificar por Portugal, mas também sei o que irá acontecer a qualquer partido que, neste momento tente governar este solo para poucos tão sagrado.
Quem quer afinal governar o que outros tornaram um caos? Que futuro terá um partido ao tomar conta deste Portugal contaminado? Não deixará por ventura de ser considerado culpado por tudo o que corra mal? Primeiro é necessário refazer a sociedade, os seus princípios e os seus valores. Resta saber se teremos tempo para tal.
E ter gente no país que não acha grave ter um primeiro ministro, que fora da sua agenda oficial, manda o aviador desviar a sua rota para assistir a uma final europeia de futebol, deixa a confirmação da bandalheira onde caímos. “Ó aviador, aterra aí no Buda que a Peste não se importa e tuga já se habituou!”. Terá dito o Rajá que se julga dono disto tudo.
“Despesas? Isso é com o Medina, com os seus números martelados”, acrescentou.
Entretanto e no intervalo das suas deslocações ao estrangeiro o, presidente desta decadente república “Célinho” para os cada vez menos amigos que tem, diz que o Rajá Costa apenas quis apoiar Mourinho. Mais doente ainda do que pensávamos e enquanto levanta algum dinheiro no multibanco junto ao palácio de Belém, vai ajeitando com pé velho e cansado as pedras soltas dos passeios pensando que o povo, por ser só povo, não tem qualquer visão de estado.

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados