12 Junho, 2024

Bruxelas monitoriza risco nos países da UE para antecipar e atuar no combate aos fogos

© D.R.

A Comissão Europeia está a monitorizar, através de uma equipa reforçada de proteção civil baseada em Bruxelas, o risco nos Estados-membros da União Europeia (UE) relativamente aos incêndios florestais, visando “antecipar e atuar rapidamente”, anunciou hoje a instituição.

“A fim de estar mais bem preparada para apoiar os Estados-membros nesta época de incêndios florestais, a UE reforçou o seu Centro de Coordenação de Resposta de Emergência com uma equipa específica de apoio aos incêndios florestais para monitorizar, antecipar e atuar rapidamente”, indica o executivo comunitário num comunicado hoje divulgado.

Numa altura em que o sul da Europa enfrenta incêndios florestais de grandes dimensões, potenciados por ventos fortes e temperaturas elevadas, a Comissão Europeia recorda que os países do bloco comunitário “podem ativar o Mecanismo Europeu de Proteção Civil para solicitar assistência no combate” aos fogos, numa alusão ao programa que coordena a resposta ao nível da UE para cooperação entre as autoridades nacionais.

Quando não estão disponíveis meios nacionais, a UE dispõe ainda da reserva rescEU, que pode ser mobilizada para os países em risco, estando incluídos aviões Canadair e outras aeronaves e mais de 400 bombeiros preposicionados durante todo o verão.

Na mesma nota informativa, a instituição garante que a UE está já a intervir “para reforçar os esforços de combate aos incêndios e prestar o tão necessário apoio às comunidades afetadas, tendo enviado mais de 490 bombeiros e nove aviões de combate a incêndios para a Grécia e a Tunísia desde 18 de julho”.

A Comissão Europeia admite ainda que “os incêndios florestais, alimentados por condições meteorológicas secas e temperaturas elevadas, estão a representar uma grave ameaça para as vidas, os meios de subsistência e os ecossistemas em todo o Mediterrâneo”.

Sete aeronaves, 100 camiões de combate a incêndios e mais de 480 bombeiros foram já mobilizados, através do Mecanismo Europeu de Proteção Civil, para apoiar a Grécia que enfrenta graves incêndios florestais.

Os dados são do Centro de Coordenação de Resposta de Emergência da Comissão Europeia e dão conta de que, após a ativação pela Grécia do Mecanismo Europeu de Proteção Civil há uma semana, foram mobilizadas aeronaves de combate a fogos procedentes da Bulgária, Croácia, Chipre, França, Itália, Malta, Polónia, Roménia, Eslováquia e Sérvia.

De acordo com os mesmos dados, numa semana foram também mobilizados mais de 100 camiões de combate a incêndios e mais de 480 bombeiros, ainda no âmbito do Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

Ativado foi ainda, na passada quarta-feira, o sistema europeu de cartografia Copernicus para mapeamento rápido dos danos, através do qual foram já criados cinco mapas.

A Grécia está a passar por uma das ondas de calor mais longas dos últimos anos.

Na linha de frente dos incêndios, que duram há mais de uma semana no país, os bombeiros ainda combatem as chamas nas ilhas de Rodes, no mar Egeu (sudeste), Corfu, no mar Jónico (noroeste) e em Eubeia, uma grande ilha a leste de Atenas.

Estes incêndios florestais, alimentados por fortes ventos, já destruíram milhares de hectares de floresta e vegetação.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados