24 Abril, 2024

Portugal recusou a entrada a 168 estrangeiros nas fronteiras

©facebook.com/servicodeestrangeirosefronteiras

Um total de 1.033.585 pessoas foram controladas nas fronteiras portuguesas desde o inicio do controlo documental no âmbito da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), tendo sido recusada a entrada a 168, segundo dados hoje divulgados.

Ocontrolo documental nas fronteiras aéreas, marítimas e terrestres no âmbito da JMJ entrou em vigor em 22 de julho e está a ser feito de forma seletiva e direcionado com base em informações e análise de risco.

Um balanço feito pelo Sistema de Segurança Interna (SSI) indica que foram controladas, até quinta-feira, 16.637 viaturas nas fronteiras terrestres, 1.559 embarcações nas marítimas e 5.614 aviões nas aéreas.

Segundo o SSI, nas fronteiras terrestres foi recusada a entrada a 108 pessoas e nas aéreas 60, sendo a maioria por falta de visto válido, não comprovação dos objetivos da estada, interdição de entrada em espaço Schengen e ausência de visto adequado à finalidade pretendida.

O SSI indicou ainda que 60.049 pessoas foram controladas, desde 22 de julho, nas fronteiras terrestres e 76.398 passageiros nas fronteiras marítimas pelo SEF e GNR, enquanto nos aeroportos o SEF e a PSP controlaram 897.139 pessoas.

O controlo documental nas fronteiras aéreas, marítimas e terrestres no âmbito da JMJ vai ser feito até à próxima segunda-feira.

Lisboa está a ser palco da Jornada Mundial da Juventude, com a presença do Papa Francisco e que, até domingo, reúne milhares de peregrinos de todo o mundo.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados