26 Maio, 2024

Alemanha acusa Rússia de ataque cibernético contra partido alemão

Berlim acusou hoje piratas informáticos russos, apoiados pelo Kremlin, de um ataque cibernético que descreveu como intolerável contra membros do Partido Social Democrata da Alemanha (SPD, na sigla em alemão) e ameaçou retaliar.

© Facebook de Annalena Baerbock

 

“Podemos dizer de forma inequívoca que podemos atribuir este ataque cibernético a um grupo chamado APT28, que é liderado pelos serviços de inteligência da Rússia”, disse a ministra dos Negócios Estrangeiros alemã.

“Este foi um ataque cibernético apoiado pela Rússia contra a Alemanha e é absolutamente intolerável e inaceitável”, acrescentou Annalena Baerbock, que prometeu que o ataque terá consequências.

A investigação federal sobre o ataque que teve como alvo o SPD em janeiro de 2023 acaba de ser concluída, disse a ministra, sem dar mais detalhes, durante uma conferência de imprensa na Austrália.

Na mesma conferência, realizada após um encontro em Adelaide, no centro-sul do país, a ministra dos Negócios Estrangeiros australiana disse estar “profundamente perturbada” com o ataque russo e garantiu que Camberra apoia Berlim.

“Já nos juntámos aos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Nova Zelândia na atribuição de atividades cibernéticas maliciosas ao APT28”, disse Penny Wong.

O grupo APT28, também conhecido como Fancy Bear, é acusado de ser responsável por dezenas de ataques cibernéticos em todo o mundo.

A agência de segurança informática da União Europeia notou em 2023 que, de acordo com a imprensa alemã, um funcionário do SPD tinha sido alvo de um ataque cibernético, de origem russa, que terá causado “uma possível divulgação de dados” do partido.

Em fevereiro, o Ministério do Interior da Alemanha anunciou que as forças de segurança realizaram uma operação contra o APT28, numa iniciativa liderada pela agência de segurança dos Estados Unidos, o FBI.

O grupo de piratas informáticos APT28 terá instalado ‘malware’ (‘software’ destrutivo) em centenas de postos de acesso à Internet (‘routers’) em escritórios e residências particulares, criando uma rede que terá sido usada como plataforma global de espionagem cibernética.

De acordo com o FBI, os alvos das atividades de espionagem eram governos, militares, agências de segurança e empresas dos Estados Unidos e de outros países.

O grupo de ‘hackers’ APT28 está ativo em todo o mundo desde pelo menos 2004 e o Ministério do Interior alemão considera-o um dos grupos criminosos informáticos mais ativos e perigosos do mundo.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados