23 Maio, 2024

UE insta Israel a parar imediatamente operação militar em Rafah

A União Europeia (UE) instou hoje Israel a parar imediatamente a sua operação militar em Rafah, que "exacerba ainda mais" a situação em Gaza e coloca "uma grande tensão" na relação do bloco europeu com o país.

© Facebook Josep Borrell

“Se Israel continuar a sua operação militar em Rafah, inevitavelmente colocará uma grande tensão na sua relação com a UE”, disse o Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, Josep Borrell, num comunicado.

O bloco europeu apelou a Israel que “pare imediatamente a sua operação militar em Rafah”, uma vez que “está a prejudicar ainda mais a distribuição de ajuda humanitária em Gaza e a causar mais deslocamentos internos, exposição à fome e sofrimento humano”.

Cerca de 1,4 milhões de civis palestinianos estão concentrados em Rafah e nos seus arredores, mas foi pedido que deixem a área porque, segundo as Nações Unidas, não é considerada segura.

Embora a União Europeia reconheça o direito de Israel de se defender, deve fazê-lo de acordo com o direito humanitário internacional e proporcionar segurança aos civis, sublinhou Borrell, apelando aos israelitas que “se abstenham de exacerbar ainda mais a já grave situação em Gaza” e também para reabrir a passagem de fronteira de Rafah.

Ao abrigo do direito humanitário internacional, Israel deve permitir e facilitar a passagem sem entraves de ajuda humanitária aos civis, recordou a UE.

O Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) já deixou claro o dever de Israel de facilitar o envio de ajuda humanitária aos civis nos seus despachos de 26 de janeiro e 28 de março.

Neste sentido, a União Europeia condenou também o ataque do Hamas à passagem de Kerem Shalom, que prejudicou ainda mais a entrega de ajuda humanitária.

os 27 instaram todas as partes a redobrarem os seus esforços para alcançar um cessar-fogo imediato e a libertação incondicional de todos os reféns israelitas detidos pelo Hamas.

Israel lançou uma ofensiva na Faixa de Gaza na sequência dos ataques do Hamas de 07 de outubro de 2023, que causaram em território israelita cerca de 1.200 mortos e fizeram mais de 200 reféns. A ofensiva militar israelita em Gaza causou até agora mais de 35.000 mortos, segundo as autoridades do território palestiniano.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados