22 Junho, 2024

“Amarrado e deixado no mato”. Casos de carjacking crescem em Lisboa

Um taxista foi vítima de carjacking, no passado dia 8 de maio, quando se encontrava na Praça do Comércio, em Lisboa, apurou o Folha Nacional junto de fonte da PSP.

© Instagram PSP

De acordo com a mesma fonte, os suspeitos são “três homens de nacionalidade brasileira” que estavam munidos de armas de fogo. O motorista foi ameaçado com “pistolas apontadas à cabeça, levado ao multibanco e abandonado no mato amarrado”, acrescentou a mesma fonte. A viatura foi “encontrada em Sintra” e o crime está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

Este não foi, contudo, caso único.  Três dias depois surgiu um novo assalto com o mesmo ‘modus operandi’.

De acordo com o Jornal de Notícias, outro taxista foi alvo de carjacking, desta feita na Charneca da Caparica, no concelho de Almada.

A vítima, que se encontrava no interior do seu táxi, foi abordada por três indivíduos que empunhavam uma arma de fogo. Segundo apurou a mesma fonte, dada a violência da abordagem, o taxista viu-se obrigado a sair da viatura, deixando-a à mercê dos assaltantes que a utilizaram para fugir. Ao contrário do caso ocorrido na Praça do Comércio, desta vez a vítima não sofreu qualquer agressão física.

Segundo apurou o Folha Nacional junto das autoridades, “foi efetuado o roubo de uma viatura da marca Dácia, no passado domingo, por três indivíduos de nacionalidade brasileira, com recurso a arma de fogo na zona de Vale Fetal, na Charneca da Caparica.”

“A viatura é táxi e fez viagem com os indivíduos desde a Avenida 24 de Julho, em Lisboa, até ao local onde foi roubada pelos passageiros”, declara a mesma fonte a este jornal, acrescentando que “esta situação ocorreu por volta da 01h00, sendo que até às 08h00 não havia mais novidades, apesar da tentativa da localização por GPS.”
De acordo com os dados divulgados pelo Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) 2022, foram registados 38.042 crimes rodoviários, o que representa um acréscimo de 6.727 participações, correspondente a uma variação de +21,5%, em 2022. Entre as ocorrências, o relatório destaca 711 furtos, 107 posse ou uso de arma, 1.128 injúrias e ameaças, e 1.860 crimes de ofensa à integridade física. Quanto ao número de assaltos por carjacking, é preciso recuar até ao RASI de 2019 que anotou 126 assaltos desse tipo, face a 2018.

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados