16 Abril, 2024

Líder australiano quer trocar rei por Presidente, mas vai jurar lealdade a Carlos III

© Facebook/AlboMP

O primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, disse hoje que vai jurar lealdade ao rei Carlos III na coroação do monarca, apesar de acreditar que a Austrália deveria ter o seu próprio chefe de Estado.

Albanese votou num referendo em 1999 para que um cidadão australiano substituísse o monarca britânico como chefe de Estado do país.

Albanese disse aceitar o facto de a maioria dos australianos ter preferido que o país continuasse a ser uma monarquia constitucional em vez de se tornar uma república e que iria refletir esse sentimento quando assistisse à coroação do rei no sábado, em Londres.

“Não mudei a minha posição sobre o assunto e deixei-o bem claro. Quero ver um australiano como chefe de Estado da Austrália”, disse Albanese à Australian Broadcasting Corp.

“Isso não significa que não se possa ter respeito pela instituição, que é o sistema de Governo que temos”, justificou. “E eu acredito que, como primeiro-ministro australiano, tenho uma responsabilidade particular de representar a nação de uma forma que respeite os arranjos constitucionais que existem”, acrescentou.

Um movimento que faz campanha para que a Austrália se torne uma república instou Albanese a permanecer em silêncio quando o Arcebispo de Canterbury convidar “todos os que desejarem”, entre a congregação na Abadia de Westminster, a fazer o juramento de fidelidade ao rei.

Mas Albanese disse que seguiria o protocolo, prestando o juramento.

Criado como católico romano, Albanese optou por não prestar juramento sobre uma bíblia há um ano, quando foi nomeado primeiro-ministro pelo governador-geral David Hurley, que era então o representante da Rainha Isabel II na Austrália.

Optou por fazer uma declaração de posse, uma alternativa secular ao juramento que não menciona Deus nem o monarca.

Albanese excluiu a possibilidade de realizar um referendo no seu primeiro mandato para substituir o monarca britânico por um Presidente australiano. Em contrapartida, está a dar prioridade a um referendo que reconheça os indígenas australianos na Constituição e crie um órgão representativo para aconselhar o parlamento sobre questões indígenas.

Apesar de Albanese ter nomeado um ministro responsável pela república, ainda não indicou um prazo para que os australianos votem sobre uma eventual mudança constitucional.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados